"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

sábado, 8 de janeiro de 2011

Toque de amor



"Se eu apenas lhe tocar as vestes..." - gemia certa mulher.

Diante daquele toque especial sentido apenas por Jesus, que se volta e pergunta "Quem me tocou?" a resposta não podia ser com outra pergunta intrigante do tipo: "Como assim?!"

Ora, a questão é que Jesus nos vê de forma individual, daí a perplexidade dos discípulos diante de tanta gente que se apertava.

Abrindo caminho no meio da multidão, aquela mulher que sofria de hemorragia contínua durante doze anos tocou a orla da túnica de Jesus... E foi curada! O detalhe é que a mulher não foi curada apenas na doença física. Por aproximar-se de modo "diferente" ela teve um encontro pessoal com Jesus a quem a chamou de filha!

Esse encontro pessoal é algo impressionante! Houve um contato e apenas os dois sabiam acerca deste. E Jesus não se moveria dali enquanto não se aproximasse aquela que o procurou. Ele sabia de sua adoração em potencial, mas foi ela quem O procurou. A iniciativa foi dela. Ele, por sua vez, diria: para tudo, daqui não saio enquanto não concluir a tarefa! Então Ele deu atenção exclusiva àquela que se prostrou, dizendo: a tua fé te salvou; vai-te em paz e fica livre do teu mal.

Acho simplesmente incrível esse "pacote": A salvação pela fé, a paz instalada pela cura. (cura - fica livre do teu mal)

Então Jesus rompe com doutrinas e costumes, dogmas, exigências e inflexibilidades (Em razão da urgência e da necessidade dessa mulher insignificante diante da sociedade e que nem nome tinha mas com certeza estava gravado no Livro da Vida). Pois, embora tocar e beijar fossem comuns nos tempos bíblicos, a lei levítica proibia muitas formas de toque. Um hebreu não podia tocar um animal impuro, uma mulher logo após ter dado à luz a um menino, um leproso ou uma mulher no período menstrual.  Principalmente os rabinos, não podiam tocar nem ser tocados em hipótese alguma, por alguém com sangramento.

Entretanto, motivado por um amor que transcendia à Lei, Jesus frequentemente tocava as pessoas. As Escrituras nos dizem que Ele tocou um leproso, os olhos de um cego, o corpo morto da filha de Jairo e a língua de um surdo-mudo. Quando se tratava de ajudar os outros, Ele não se preocupava com sua imagem ou bem-estar. Jesus também deixava que os outros O tocassem: uma "pecadora"  lavou e beijou seus pés e uma mulher com hemorragia tocou a orla de suas vestes!

Muitas vezes, Jesus curou e expressou sua compaixão por meio de toque, porque esse gesto transmite empatia, afeição, cura e aprovação. Por isso, as pessoas que já foram tocadas por Jesus precisam alcançar outros com o mesmo toque de amor. Esse amor nos motiva a responder amorosamente a outros numa demonstração de que somos capazes de amar porque fomos e somos amados por Deus.

Um amor que é bem mais que mero sentimento que "me faz sentir bem" mas que exige de mim atitudes práticas e que, por vezes, me tiram de minha zona de conforto.


27 comentários:

René disse...

Rê,

Depois de esgotar suas tentativas humanas de cura, aquela mulher soube que sua única chance verdadeira estava em Jesus. E ela creu nisto! Mais do que crer, ela teve fé, aplicou esta certeza em sua vida e se lançou a Ele!

Nesse relacionamento individual que Jesus tem com cada pessoa (e você tem chamado atenção pra isto com muita propriedade), Ele a acolheu com todo o Seu amor e, também com Seu poder. Como Ele faz com todos que têm fé nEle!

Como você disse, "Esse amor nos motiva a responder amorosamente a outros". E este é o cumprimento verdadeiro da vontade do Senhor: "que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei". Primeiro, o reconhecimento de Seu amor antecipado por nós. Depois, compartilhar esse amor. Não é o cumprimento de uma lei: "Amem como eu amo!". É algo que flui naturalmente!

Abração e continue na Paz!

Míryam Lobo disse...

Paz querida...
Amei sua postagem. O toque do Mestre em nossas vidas, muda completamente a forma que enxergamos muitas coisas. ele traz vida, consolo, cura, libertação...

Glória a Deus pelo toque dEle em nós. Por tudo o que ele tem feito e por tudo o que ainda há de fazer.

Que nós possamos, debaixo da graça do Pai, levar este toque de amor aos nossos irmãos que ainda não O sentiram.

Paz!!

Eduardo Medeiros disse...

é somente na alteridade que nos tornamos mais humanos e quebramos paradigmas que excluem e isolam o diferente para que ele não "contamine" o ritual.

beleza de texto.

gostaria de ter você como membro da confraria dos pensadores fora da gaiola. o que me diz? sim, é um convite.

Regina Farias disse...

René,

A coisa mais incrível que aconteceu na minha vida foi, depois de adulta, foi ter esse relacionamento pessoal com Deus. Não tem como não querer "espalhar".

Abs e PAZ

Rê.

Regina Farias disse...

Oi, Myrian!

Que prazer ter vc comentando no meu espaço.

Então...
Não há nada melhor do que espalhar esse amor que nos motiva de forma natural, que flui, simplesmente.

beijo,

Rê.

Regina Farias disse...

Edu, rapaz!

De antemão já agradeço, mas.. Que convite é esse?! Olhe que eu não tenho esse cacife, quem sou euzinha rss

Sério, não é fazendo tipo, mas sinceramente, quantas vezes já me perdi por lá em meio a tanta discussão filosófica/teológica.

Lembra que no início do blog em vivia por lá dando meus pitacos? Mas aí, não foram poucas as vezes em que meus dois neurônios, tadinhos, entraram em choque, por isso recusei esse mesmo convite.

Por outro lado, tem um "problema", pois eu vou querer me posicionar, não fico em cima de muro mesmo e aí sim, meus dois neurônios vão entrar em choque com os (neurônios)dos outros integrantes e eu não tenho mais idade pra isso, olha lá rss

Abs,

R.

Wendel Bernardes disse...

Rê,
seu texto é mesmo muito belo.
Está recheado de motivos para convites mil (rsrsrsr),(Parabéns).

Uma coisa me chamou a atenção. Um tempo desses estava lendo sobre Nazireado. Jesus era Nazireu, tinha voto de não beber bebida forte, não se raspar, não tocar em mortos (sob pena de reverter o nazireado), não fazer nada aos sábados...

Sabe que até onde sei, este Nazireado de Jesus foi o mais controverso da história habraica... (rsrsrsrs), sim pois se bem me lembro, Jesus topou com cadáveres (e os ressuscitou) várias vezes. Bebeu com 'escarnecedores', curou mulheres com hemorragia, curou aos sábados... Ufa!!!

Sabe, talvez Ele tenha apenas dado mais um dos milhares de exemplos que Deus lhe designara sobre ser único mesmo não sendo religioso de plantão!

O amor estava em cada gesto Dele!
Muito comovente seus escritos... sou seu fã, menina!


Beijão!
(desculpe a puxação de saco, não deu pra resistir...rsrs!)

Regina Farias disse...

Wendel,

Se é pra desperdiçar confete, então bora lá.

Comentei faz um tempo no blog do J.C sobre ter "descoberto" que vc é pastor muito tempo depois de você comparecer aos nossos blogs com seus comentários/complementos sem nenhuma auto-apresentação, com toda tranquilidade.

Acho isso bacana porque geralmente as pessoas já chegam se auto-afirmando, mostrando currículo e tal. E no final das contas nem têm essa "bagagem" toda rss Só exibicionismo mesmo.

Pronto, me vinguei na mesma moeda rss

Quanto ao texto e a "atuação" de Jesus, é um tapa de luva nas denominações que usam Seu Santo Nome para justificar seus rigores, suas doutrinas rígidas e inflexíveis, dando a forte impressão de que nunca nem leram a Bíblia quanto mais tiveram uma experiência real com o Cristo da Cruz.

Que Deus tenha misericórdia!

Abs,

Rê.

Elídia :) disse...

Que lindo, retuitarei... Eu preciso taanto desse toque...

Wendel Bernardes disse...

Esse negócio de 'ser pastor' é só brincadeira (às vezes de mau gosto - rsrsrs), pois ninguém derramou nada na minha careca... Graças a Deus!

rsrsrsrsrsrsrsrsrs

Cláudio Nunes Horácio disse...

Não é engraçado como Jesus sempre está do lado oposto ao nosso? Nós fugimos dos toques, só deixamos tocar-nos quando íntimos, além de escondermos nossas feridas de todo mundo, o que esta mulher não fez. O texto todo grita a inversão de atitudes e valores. Excelente seu post. Graça, saúde e paz.

Rita disse...

Olá,
Amei,linda mensagem!!
Só quando somos tocados pelo Senhor que nos ama de tal maneira podemos entender muitas coisas,são experiências únicas em nossa vida,que esse toque alcance muita vidas,como tem nos alcançado.
Que o Senhor continue abençoando sua vida,muita Paz e toques de amor do Pai!!

Diego Lopes disse...

Muito bom o que vc escreve, regina!
parabens!
Mais um blog pras minhas leituras diarias!

Regina Farias disse...

Elídia, sua sumida!
Beijos pra ti.

Wendel, vc me enganou direitinho, mas tudo bem, gosto assim mesmo :)

Cláudio,
Tem coisa melhor do que essa entrega, essa dependência total e irrestrita?
Eita Deus! rss

Pois é, Rita.
Como diz você, só entendemos muitas coisas quando nos prostramos diante dAquele que não é apenas nosso Salvador e Redentor, mas nosso SENHOR!
Que Deus te abençõe também, minha linda.

Oi, Diego, seja bem vindo!
E obrigada por incluir meu blog em suas leituras. Bora sempre fazer esse troca de leituras :)
E vc não tem noção de como escrever é terapêutico para mim.

Meu carinho!
Rê.

Eduardo Medeiros disse...

exatamente pelas suas participações que lembrei de você pois estamos tipo que refundando o blog depois de uns problemas. você sabe que lá tem ateu, meio ateu, metade ateu, quase crente, ateu crente e até crente...ou seja, quero ver essa salada bem equilibrada por lá pois sempre sai muitas faíscas dos neurônios. mas pensar faz bem. emagrece e tira rugas...não sabia????? pois é, nova descoberta da ciência...topa ou não topa?

helena disse...

Oi Regina! vim aqui agradecer a sua visita em meu bloguinho, e gostei muito do seu espaço virtual, os seus textos são bem aconchegante, senti um grande conforto aqui! um grande abraço!

Adriana disse...

Olha, vejo Jesus trazendo dignidade a estes pessoas tocadas, acho lindo, comovente, e certamente é um convite para que eu faça o mesmo.

Incersão social.

Vivemos no mundo dos parias, é só olha para o lado e encontraremos alguém "não normal" que precisa de muito pouco, como por exemplo um abraço.

Concordo, Jesus estava sempre na contra mão do statu quo, do corriqueiro, daquilo que era ceito como normal.

Isto me dá um parametro.


abraços apertados a todos

Regina Farias disse...

Helena,

Gosto muito dos seus comentários lá na Rô, daí as espiadas no seu blog rss

beijos,

Rê.

Regina Farias disse...

Dri,minha mais nova amiga de infância:)

É incrível como um abraço tem poder de cura. Não precisa nenhuma palavra, é uma coisa "mágica" que dependendo do momento nos lava, nos conforta, nos reveste, nos fortalece. É impressionante!

Eu quero é Deus! (num tem uma canção assim, né?)

ê ê ê, eu quero é Deus
Não importa o que vão pensar de mim,
eu quero é Deus...

Regina Farias disse...

Rapaz, Edu, pare com isso...

Deixe-me no meu canto.

Deixe minhas rugas e meu tecido adiposo quietos nos seus devidos lugares. Isso é experiência acumulada rss

E outra: como equilibrar essa salada cum euzinha? Olha que eu vou é desequilibrar, pois embora não me encaixe em nenhuma dessas classificações, carrego comigo as marcas da Cruz. Sem querer ser mais que Paulo (mas já querendo rss)

Sinceridade? Não é nada pessoal nem tampouco por não saber lidar com divergência, mas é porque tem hora que cansa só de ler certos “tratados”. Meus estilo é mais ligado às coisas simples do cotidiano.

E mais: é também da “obrigação” que estou me furtando, você não percebe? Porque no fundo, no fundo (do coração) sou uma anarquista, Graças a Deus!

Na boa, se você acha realmente que um ou outro texto aqui estimula a mente, é só reproduzir lá. Afinal, você sabe melhor do que eu, que as discussões sadias e inteligentes são no campo das ideias. Não me xingando, tá tudo certo he he

Com o meu amor e a minha admiração!

Rê.

Regina Farias disse...

Dri,

Você disse uma expressão que é TUDO na cura:

DIGNIDADE!!!

Valeu, minha amiga,

Rê.

disse...

Atitudes práticas que nos tira de uma zona de conforto, (ir até Ele), e receber de sua virtude, muito bom mana. Lindo demais, receber um toque de Jesus é um privilégio.Paz!

Eduardo Medeiros disse...

deixa de ser pretensiosa, menina, você não iria equilibrar nada, melhor seria que desequilibrasse mesmo!!!!! kkkkkkk

a confraria não tem nada de certinha, paletó e gravata, terninho e tal; lá o pessoal gosta de "vestir" sandália de dedo e camiseta. alguns gostam de aparecer de sungão de praia...

gostamos muito da anarquia. tudo se originou do caos. o caos é o grande criador de tudo.

não publicamos "tratados" por lá. tá certo que não são textinhos de crentes piedosos mas nada que se diga, "oh, que coisa indigesta!!!"

temos a paulinha que escreve com uma delicadeza, carinho e amor sobre a vida que é uma beleza. ou seja, teus textos só somariam.

tá certo que os ateus safados de lá iriam querer desconstruir suas crenças(eles adoram desconstruir tudo que é sagrado mas não chegam ao ponto de xingar. ah, às vezes xinga sim mas é tudo na boa, em família...rs) mas isso faz parte do espírito da confraria.

mas não quero te constranger. fique à vontade em não aceitar fazer parte dessa sandice...rss

Regina Farias disse...

Rô,
Valeu!
Paz pra ti também!
besos,
Rê.

Regina Farias disse...

Eduardo,
Acho que não me fiz entender... Mas, como diria o esquartejador, vamos por partes:

Primeiro:
Eu não estou sendo pretensiosa, não sou pretensiosa, não é de minha índole nem tenho idade pra isso. Não sou adolescente nem tenho problemas de autoestima e não é um blog que vai me fascinar e mexer com minha vaidade. Quem falou em equilibrar com a minha presença lá foi você. Não distorce, pois na verdade fui euzinha que falei a expressão “desequilibrar”. Releia com atenção o que escrevi e confira.

Segundo:
Não tenho nada contra terno e gravata e acho que o bom senso dita a hora adequada da indumentária. Além do mais, cada um “se veste” como quer; não somos os “esteites”, mas também ainda somos um país livre.

Terceiro:
Quando digo que sou anarquista, refiro-me ao meu ritmo. Ou seja, no meu blog eu coloco dez textos em um dia ou passo dez dias sem postar. Ao passo que, assumindo compromisso com outros, eu fico na obrigação. E é essa obrigação que eu não quero, entende?

Quarto:
Em relação a ser tratado, ou escrita delicada, ou textinho de crente piedoso, eu entendo que cada um tem o seu estilo literário e cabe ao leitor se deter ou não nas leituras. O sol nasceu pra todos e tem blog pra todo gosto. Quanto a mim, pra ser sincera, eu já fico feliz em escrever. Se alguém leu e gostou já tô no lucro, mas isso não me envaidece nem um pouco. Escrevo porque me dá prazer. Sempre escrevi, desde meus nove, dez anos de idade até hoje, nunca parei nem pretendo parar. Não preciso de seguidor nem de comentarista. Prefiro fazer amigos. Inclusive há poucos dias uma sobrinha perguntou porque eu não tinha twitter e facebook, argumentando que assim aumentaria o acesso ao meu blog e eu lhe respondi que nunca me interessei por números e que tá de bom tamanho assim:)
Quinto:

Eu não tenho nenhum problema em conviver com ateu. (Já com ateu safado, sim rss) Aliás, diga-se de passagem que os ateus confessos com os quais convivo harmoniosamente jamais tiveram a pretensão de querer desconstruir minhas crenças. Até porque eles não teriam ferramenta para isso. Por outro lado sou uma pessoa flexível e até poderia aplicar um termo muito usado hoje em dia: resiliência. É disso que me valho para transitar por todos os guetos divergentes. Quanto a xingamentos, realmente não convivo muito com isso e confesso que prefiro não estar em tais ambientes, porém já passei por muita saia justa na vida e estou certa que saberia tirar de letra. Não por ser moralista, absolutamente! Mas por já ser bem grandinha. Alguma experiência eu tenho, não é possível rss

Sexto:
Fique certo de que não me constrange em absoluto. E fico bem à vontade, lógico, e sei que você é que não vai se constranger também, pois afinal não é uma coisa pessoal. É apenas uma questão de ponto de vista bem definido. Amigos, amigos, blogs à parte. Como bem disse uma amiga aqui mesmo no meu blog dias atrás, nem sempre concordamos com tudo que nossos amigos escrevem, mas nos entendemos. E digo mais, temos cultivado uma amizade sincera em meio às divergências. Isso é muito legal até porque nem nos conhecemos pessoalmente, mas a escrita tem esse poder incrível de aproximar as pessoas.

Por fim, aproveito pra dizer que não me considero uma crente piedosa, aliás, tenho pavor de performance. Sou apenas uma pessoa cheia de falhas que busca acertar, que age com sinceridade de alma, que procura ser acima de tudo, ética. Esteja onde eu estiver. Na presença de amigos em ambiente familiar ou lá na China, buscarei ser a mesma pessoa leve, antenada, engajada, prestativa, descontraída, brincalhona mas respeitosa, irreverente mas jamais debochada, crítica mas sem questionamentos vãos, sempre procurando viver uma vida coerente com os meus princípios. Com a ajuda de Deus!

É isso!

Meu carinho.
Rê.

Sonhos De Deus disse...

Olá! Dei uma passadinha por aqui,
só para ver como você estava
e te desejar um ÓTIMO DIA!muito boa a mensagem ,deus te abençõe sempre,

Lembre-se, hoje é um dia muito especial,
Melhor que ontem e muito melhor que amanhã,
Hoje você têm a oportunidade de fazer as coisas diferentes.Tenha uma semana com toda sorte de benção,fica com nosso papai!!!

Bom Dia!!!

Regina Farias disse...

Olá, Valquíria,

Bom dia pra ti também!

E obrigada pelas palavras tão amáveis.
E valeu pelo lembrete!:)
Boa semana pra ti também com as bênçãos dos Céus.

bj

Rê.