"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

HIPOCRISIA



O hipócrita engravatado e bem sucedido não me surpreende, simplesmente por ser tão previsível. O que me impressiona é o hipócrita que se faz de simples, de humilde, de camarada, de desprendido e que entra sorrateiramente em sua vida, sua casa, sua cozinha, seu coração; que suga suas energias, que se aproveita da sua boa vontade, que adula, mas que no próprio coração está tramando coisas terríveis a seu respeito, porque ele escolheu o de coração desarmado para pagar todas as dívidas que ele acha que o mundo tem com ele.

Características típicas do bipolar que chora tua amizade, faz projeções e transferências, um dia te adora, no outro te xinga e te condena ao fogo do inferno. Para mim esse é o pior tipo de hipócrita que pode existir. Deste eu corro quilômetros e não por falta de compaixão, mas por vê-lo sabendo-se doente e desprezando a cura. Este, olha pra dentro de si mesmo e, batendo no peito inflado de ódio, diz: eu sou o cara, não sou hipócrita!

Posa de bonzinho enquanto vai minando as energias  de quem lhe dá atenção. Até que um dia este que o acolheu cai em si! E enxerga naquele simples e humilde um arrogante cheio de discurso filosófico acerca do que a existência lhe deve. E o dispensa, muitas vezes cheio de dúvidas e conflitos, pois é isso que ele quer: colocar dúvidas no coração bem intencionado do verdadeiro bonzinho. Então, cínico e invejoso, ele vai sugar outro ingênuo dizendo para si mesmo o quanto é feliz por não ser hipócrita como aquele que lhe chutou.

Ele é um inseguro que ao invés de confessar sua insegurança e suas próprias incoerências, transforma-as em instrumento de envolvimento. Sim, este é também envolvente. E esta é a sua vaidade. Porém uma vaidade amargurada que produz frutos amargos como má vontade, ira não resolvida, ciúme, dissensão e imoralidade. Vaidade amargurada que é resultado de intensa animosidade e raiva. Vaidade que cega e dá permissão para que a amargura se desenvolva em seu próprio ser, contaminando o ambiente e trazendo toda sorte de consequências ruins. Em outras palavras: ele não tem consideração por ninguém, age com desdém, distorce valores e despreza aquele que o acolhe; despreza porque se acha desprezado e resolve pagar com a mesma moeda. Paga um mal - que não é mal, mas é como ele vê  – com outro mal, desprezando e tornando-se desprezível, caindo na própria cilada e sendo objeto do próprio desprezo, escolhendo ser repulsivo; e, nesse círculo vicioso onde só dá patada, vai afastando as pessoas de boa vontade para com ele.

Esse hipócrita acha que todo hipócrita tem um único perfil: o do riquinho bem sucedido. Aliás, o discurso do hipócrita sem noção é atacar aquele que se deu bem na vida, aquele que alcançou determinado patamar socioeconômico. Para este, o pobre lascado que está enlameado na sarjeta não tem a menor chance de carregar a marca da hipocrisia em seu peito. Em seu raciocínio tosco, o mundo inteiro já está vendo e sentindo o cheiro da lama no qual está atolado; vendo que ele está lá exposto e por isso não pode jamais ser chamado de hipócrita. E segue batendo no peito enlameado por dentro e por fora: eu sim, sou bem aventurado por não ser como esses hipócritas que vivem bem. Eu sou um lascado, mas por dentro estou inteiro, íntegro, completo, digno, feliz, realizado. E mente para si mesmo, desgraçadamente, tristemente, dizendo sem a mínima convicção: estou apaziguado comigo mesmo; esse desprezo com a minha aparência é um recado, uma mensagem; é para provar ao mundo que eu não sou hipócrita.

Inevitavelmente eu faço um paralelo com a proposta de Jesus para nossa vida saudável. Ora, a hipocrisia é o mal que mais causa a ira em Jesus e justamente porque o hipócrita recusa cura interior. Ele tem orgulho do perfil externo que criou para si mesmo como pessoa humilde; vaidoso de sua pseudo-simplicidade, vive de alimentar e realimentar sua mente e seu coração de suas próprias performances, exaltando sua vivência/doença existencial como receita arrogante de saúde para outras pessoas. Então, quando ele consegue convencer um coração de manteiga que porventura encontre pela vida, contamina-o com sua amargura e faz da vida deste um verdadeiro inferno; fazendo um enorme esforço para parecer o que não é, carrega em si um excesso de segurança sobre os próprios conceitos de justiça-própria.

Finalmente, a coisa mais dramática nesse tipo é que ele imagina-se um alternativo representante de Deus entre os homens por ter superado algumas dificuldades na vida. Porém, ele faz uma grande salada acerca de seu suposto "encontro com Deus" usando fortes pitadas do ressentimento e da raiva  que estão instalados no mais firme do seu ser. Transformando a própria arrogância em ativismo, empunha a bandeira da intolerância, tentando contaminar a todos com sua raiva e meninice ao trazer à tona, todos os dias de sua vida, coisas que aconteceram lá no passado. 

Afirma-se como liberto, mas o coração está acorrentado...

“Somente os que existem crendo que precisam,
não apenas de manutenção espiritual,
mas de cura mesmo, é que viverão sendo curados todos os dias”.



TEXTOS CORRELATOS

BOM, BONZINHO, NUNCA! <---CLIQUE AQUI

A PAZ QUE VEM DE DEUS (PARTE II) <---E AQUI





19 comentários:

Ricardo Mamedes disse...

Regina,

Desta vez você acertou na mosca... Conheço muitos tipos assim, já até escrevi sobre eles, mas nunca consegui me expressar tão bem como você neste texto.
Dia destes, aliás, há poucos dias, vi num "amigo" uma espécie assim. Bastou que eu discordasse dos seus dogmas pentecostais, da sua "não-graça" pra que ele partisse contra mim com a sua raiva incontida tentando aniquilar-me. Não, não refutou o conteúdo do meu comentário, como mandam as regras do bom debate, mas partiu para a desqualificação pessoal, lançando impropérios contra mim e contra o meu blog (engraçado que o meu blog nada tinha a ver com a questão).

Essas coisas me atingem. De repente enxergamos a pessoa tal como é, e a imagem fica muito feia, quase espectral. As feridas da alma se tornam como lepra, enfeiando o exterior, que de repente se transmuda, aparecendo então algo monstruoso. Sim, esse hipócrita é mesmo monstruoso! Ficamos expostos quando desejamos compartilhar o cristianismo no qual cremos e que praticamos, mas ainda assim, vale a pena.

Gostei muito desse texto. Parabéns e que Deus continue a te inspirar com as letras.

Abraços,

Ricardo.

orvalho do ceu disse...

OLá,
Ainda bem que Deus nos deixa o perdão... para todos os temperamentos... e dificuldades...
A hipocrisia demanda falta de amor próprio...
Boas Festas!!!
Bjs de paz

disse...

Eu nunca consegui escrever sobre estes, mas acho que você foi mesmo no profundo Re, não poderia eu descreve-los tal como você. Muito bom. Bjs.

Casal 20 disse...

Uau, abri aqui para comentar e já achei alguns amigos recentes. Isso só nos deixa ainda mais felizes com a realidade da internet que conecta os afins.

Bem, quanto ao post, realmente estou impressionado como você pode ser tão clara num texto. É um verdadeiro raio-x dessas pessoas. Certa vez, ouvi a expressão "vampiros espirituais", que são exatamente essas pessoas que vão sugando você.

Regina, você escreve muito bem. É inevitável não reconhecer, pelo seu diagnóstico tão bem apresentado, essas pessoas no nosso convívio.

Gostei muito daquela frase final que fala sobre "manutenção espiritual", porque isso é mais sério e comum do que se pode imaginar. As igrejas estão cheias de pessoas que apenas querem uma manutençãozinha, ainda que a chamem de cura.

Parabéns. Sigamos orando por essas pessoas.

Adriana disse...

Amiga de infância e investigadora competente das deformidades da alma, tô bem na fita.

Regina,

Nem smepre estamos preparados para ver com clareza o que vem de lá, as vezes nos deixamos seduzir pela simpátia, docura e sedução do enrustido.
Recentemente CF disse uma frase interessante: "Quem é, será até vestido de Calvin Klein", ou seja, uma hora todos ficamos nús e ai fica inevitável mostrar o que vai dentro do coração.
Como você, tenho corrido léguas para longe ao mesmo tempo que me avalio para não me deixar contaminar por estes maneirismos.

Beijo no anel clerical e no dorso da mão.rsrsrsrs a do go

Cláudio Nunes Horácio disse...

Rê, a cura para a hipocrisia é o espelho. Se não nos enxergarmos como somos, jamais deixaremos de ser hipócritas, pois em olhar a verdade de quem somos está a cura para o olhar que lançamos no próximo. Sabedores de nossas múltiplas caras e defeitos e pecados e dores mal resolvidas, entendemos que se não somos o padrão, certamente aquele a quem vemos tem o direito de não ser igualmente. E ambos poderemos olhar para Jesus, único padrão, único perfeito, aquele que almejamos e desejamos do mais profundo do coração. Graça, paz e bem.

René disse...

Rê,

Falar do texto é chover no molhado. Não há o que tirar, nem acrescentar!

Prefiro falar de um detalhe que ainda não foi comentado: percebo, neste seu desabafo, que você foi duramente atingida por alguém com essas características e precisou um bocado de cola pra juntar os pedaços do seu coração partido. É isso? Se for, minha amiga, imagino a dor que você sofreu, mas me alegro por ver que você não ficou caída. Pelo contrário, reagiu da melhor forma possível, ainda que em dores: lançou este alerta para que outras pessoas possam se precaver (se isto é possível) de passarem pelo mesmo golpe.

Se não for isto, ainda cabem os parabéns pela sabedoria e clareza da sua descrição de pessoas hipócritas.

Vou deixar um recado pro Cláudio, tá?

Cláudio, o hipócrita é, antes de tudo, soberbo. Sua hipocrisia é a arma usada para satisfazer seus desejos pessoais. Por isto, o espelho não será a solução para ele. No espelho, ele só vê a melhor pessoa do mundo! A solução para o hipócrita é a ação de Deus, normalmente, colocando seu rosto na lama. Sem isto, ele nunca vai entender quem é Jesus, Aquele que Se esvaziou de toda a Sua glória, para experimentar em Si mesmo a humilhação.

Repito a despedida da Dri, Rê!!

E Paz!!

disse...

Bom, creio eu que o hipócrita vive uma vida sem cor e sem verdades e nunca reconhece que é um, tendo uma vida de aparências e vive distante de tudo e de todos, e quando estar junto, é só pra te sugar, se você não tem, o que o agrada, ele te suga e vai embora e ainda fala de ti.
Mas podemos ter comunhão com pessoas verdadeiras, mas então abre o coração para andar com quem não se esconde, e talvez poderemos não gostar de quem não se esconde também, pessoas que se abre e se entrega por completo e isso é só pra quem conhece Jesus,tem que saber lidar com estes verdadeiros , que são transparentes, mas saiba que mesmo sendo verdadeiros ainda sim não agradará a muitos também, terá sempre alguém que te chamará de hipócrita, rsss mas ainda assim, é melhor ser verdadeiro, a pior coisa é você ter que deixar de ser você mesma para tentar agradar a todos vivendo uma vida de hipocrisia e falsidade, aff! Só a graça mana!

Regina Farias disse...

Ricardo,

Em parte eu também vivenciei contigo essa tua angústia. Embora fosse algo particular teu, não tem como não se envolver. Principalmente quando a pessoa faz um ataque pessoal. a gente vai logo em defesa rss

Mas como eu falei no outro post, não é de todo ruim pois ainda nos inspira a escrever.

Abs,
R.

Regina Farias disse...

Orvalho,

Exatamente!
Nós nos irritamos com o tipo mas perdoamos. Graças a Deus, pois o perdão que eu libero me faz um bem enoooorme.

beijo,

Rê.

Regina Farias disse...

Rô,minha linda.

Eu também não consegui a princípio e passei horas só com o título na minha frente rss

Pensei até em colocar um texto pronto de outra pessoa, mas eu precisava de algo mais característico, algo que desenhasse o perfil da pessoa em questão - sim, porque é algo bem pessoal, não nego - e claro, que no final das contas é o perfil de muitos. Infelizmente.

Beijos,

Rê.

Regina Farias disse...

Casal 20,

Também fiz e faço amigos legais na net. Graças a Deus!

Quanto à clareza no texto e você achar que escrevo bem, saiba que é a indignação em relação a coisas que mexem com minha fé, daí a veracidade, certamente.

E vc falou uma coisa certa: orar. Por essas pessoas e para Deus nos proteger da maldade dessas pessoas.

Meu carinho,

Rê.

Regina Farias disse...

Dri,

Gosto mesmo de analisar a alma das pessoas, devia ter feito Psicologia rss

Quem sabe eu me surpreenda a mim mesma rss e ainda faça...

Então,

É clichê, mas um dia as máscaras caem.

Esse negocio de beijo em anel clerical e agora dorso da mão, daqui a pouco eu vou me sentir a própria Sônia Hernandes he he

beijos

Rê.

Regina Farias disse...

Cláudio,

Não entendi a metáfora rss
Claro que vc se refere à alma, mas como funcionar se a pessoa está doente e não admite que está doente?!

Para mim, o primeiro passo para qualquer cura é quando admito que estou doente.

Essa é a sequencia.: eu "me sei" doente,e então parto em busca da cura.

Fora disso fico num círculo vicioso filho da mãe que me diz me enaganando, claro, que meu estilo de vida é o melhor que há, só porque é alternativo, porque eu não entrei no sistema capitalista e blá blá blá...

Cansei desse discurso, fio. Você não tem noção de como é ser usada, manipulada por gente que se diz transformada mas que você fica procurando frutos dessa mudança e só vê amargura.

Beijos,

Rê.

Regina Farias disse...

René,

Eis a grande questão: o hipócrita é soberbo, arrogante, agressivo, intolerante, inflexível. Por isso ele não enxerga-se hipócrita. Como diz você - e como eu enfatizo no texto - ele se olha e se vê "o cara"!

E não foi alguém da minha afetividade exatamente, embora seja um familiar. E até que tentei desenvolver uma afetividade, mas as patadas que levei impediram. Ele faz isso com todos os outros familiares e amigos mais chegados.
Outra coisa, ele não me fez sofrer nem partiu meu coração. Se for pra definir que tipo de sentimento, eu digo que o da indignação. Porque quando todos deram as costas a essa pessoa, eu o acolhi não só em termos de casa, espaço físico, foi uma coisa ampla, advoguei sua causa, me importei com ele, não falo de coisas materiais, falo de dar importância como ser humano, acreditar no cara, respeitar, considerar, essas coisas. Pra vc ter noção algumas pessoas viraram o rosto e quase se afastaram de mim porque eu acreditei que essa pessoa estava mudando e fiquei muito próxima querendo ser amiga sincera. Isso que me deixa pê da vida.

Enfim, como falei acima, claro que humanamente falando a gente se exalta e tal, depois vai se acalmando e clama por Aquele que nos orienta. e fica tudo bem. Ainda que em meio a intrigas.

Você sabia que eu tenho uma paz que me surpreende? Eu estava falando sobre isso ontem à noite aqui em casa, durante agradável reunião. Eu digo, meu Deus, que paz é essa? Me assusta.

Quanto a coração partido pra valer rss só aconteceu uma vez na minha vida. Foi há quase 16 anos quando da minha separação. Mas já tá tudo certo. Deus não colou meu coração, ele trocou por outro, zerado!!!

Beijos,

Rê.

René disse...

Rê,

Quando falei de coração partido, não pensava em "amores", pois isso você já deixou claro que foi vacinada, pela graça de Deus.

O coração partido é exatamente isto que você disse, de se doar com sinceridade a alguém e receber pedradas de troco. A gente fica com a sensação de ter perdido o chão.

E acredito que você esteja com muita Paz, afinal, o seu coração demonstra estar cheinho de Deus, fruto de intimidade com Ele!!

Abração e continue nessa Paz!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Rê, é exatamente como você disse, saber-se doente é o start de tudo.

Cláudio Nunes Horácio disse...

René, realmente sabia que hipócrita não se enxerga, mas nunca tinha olhado por este ângulo da soberba. Interessante. Valeu.

João Carlos disse...

Bom dia Bispa amada,

Como foi (bem) dito pelo bispo René, falar algo sobre o que você escreveu é chover no molhado.

Somente uma pessoa sensível e totalmente submissa à vontade de Deus poderia traçar este perfil irretocável do hipócrita.

Infelizmente somos obrigados a conviver com eles no trabalho, na vizinhança e até na propria família.

Que Deus, em sua infinita misericórdia, toque nestes corações trazendo cura de sua cegueira moral e espiritual.

Beijos

JC