"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Poema sobre o amor incondicional




Não me move, meu Deus, para querer-Te

O céu que me hás um dia prometido

E nem me move o inferno tão temido

Para deixar por isso de ofender-Te.



Tu me moves, Senhor, move-me o ver-Te

Cravado nessa cruz e escarnecido.

Move-me no teu corpo tão ferido

Ver o suor de agonia que ele verte.



Moves-me ao teu amor de tal maneira,

Que a não haver o céu ainda te amara

E a não haver o inferno te temera.



Nada me tens que dar porque te queira;

Que se o que ouso esperar não esperara,

O mesmo que te quero te quisera."


Tereza d`Avila (Trad.Manoel Bandeira)

O título é bem "católico": Ao Cristo Crucificado.

21 comentários:

disse...

mana o mundo é dos amantes e o amor produto e posse de quem sabe amar. Adorei viu? gostei muito de Cris e Lucas, foi muito bom, parabéns pela obra de melhor qualidade, você sabe trabalhar com as palavras, fiquei muito orgulhosa de ti e da Cris rsss
depois comento sobre este poema aí ok, é que estava querendo te falar sobre seu livro. Muito obrigada pelo presente. Paz...

Regina Farias disse...

Rô, minha linda

Fico alegre com o resultado rss
Brigadinha pelas palavras de carinho.
Vou fazer uma reedição caprichada e te aviso, ok?
beijos,
Rê.

João Carlos disse...

Uma vez ouvi um pastor dizer (acho que foi o Gondim) algo que agora vejo que possivelmente foi baseado neste poema:

"Ainda que Jesus fosse uma mentira, ainda assim eu o amaria!"

Gostei, gostei mutcho!!!!

Regina Farias disse...

Pastor,

Peguei esse poema irretocável lá no blog da Dri, de uma paletra com o Leandro Karnal (ó o sobrenome do cara ss)sobre Religião-Temor e Tremor.

Assista que vc vai gostar. O cara é fera (na área dele)

bjs

R.

Regina Farias disse...

oops... Palestra :P

Regina Farias disse...

Pastor,

Vá lá, faça sua análise pessoal, retendo o que é bom, como sugere a Dri, mas observe que ele faz uma confusão com a expressão "temor" associando-a ao fato de que os religiosos impõem suas doutrinas pelo medo. Até aí ele está completamente correto nessa denúncia, mas derrapa quando coloca no mesmo patamar do "temor" bíblico a Deus, que na verdade se refere a "reverência". E acho que aí é que reside toda a paranóia religiosa. Nesse medo de Deus.

bjs

Rê.

João Carlos disse...

deixa eu dar uma fuçada lá...

Cláudio Nunes Horácio disse...

Rê, confesso que minha sensibilidade de brucutu r meu romantismo rústico não conseguem captar a essência de tais palavras. Sniff.

Casal 20 disse...

Regina,

gosto da idéia da autora do poema.

E acrescento algo que descobri na mística muçulmana: ali, eles buscam Deus por Deus e não pelas bençãos dEle.

É claro que cito uma escola apenas (o sufismo), não a religião muçulmana. Mas, se tratando de religião, o cansaço, cedo ou tarde, chega para todos os adeptos. Cansamos da religiosidade "toma-lá-dá-cá". Esta, até mesmo na Reforma Protestante, que tentou recuperar a doutrina da maravilhosa graça, até mesmo nesses arraiais, a espiritualidade meritória aparece se não tomarmos os devidos cuidados.

Chega uma hora que cansa "ter que devolver para Deus o que Ele mesmo não pediu": como diz o poema, nem céu, nem inferno, mas a Cruz, o Amor de Deus que nos amou primeiro. Em palavras bíblicas: nem por força, nem por espada, mas pelo meu Espírito!

Às vezes, fico escandalizado com os meios religiosos nos quais sempre aparece alguém com "visões" do inferno: "Tá vendo, é para lá que você vai, se não aceitar Jesus". Verdade, mas, e daí? Não é o medo que salva, muito menos o medo de uma punição eterna teria o poder de nos transformar o coração de pedra em coração de carne. Medo só gera medo... Agora, a Bíblia diz que o perfeito amor lança fora todo medo (que promessa maravilhosa, hein?)!

Parabéns pelo poema que nos faz refletir.

Abraços sempre afetuosos.

Regina Farias disse...

Cláudio

A autora, chamada de santa pela ICAR, diz poeticamente de seu amor incondicional, ou seja, não precisa que Deus prometa nada a ela para que ela lhe entregue sua vida, sua total dependência e adoração.

Não existe barganha, não existe medo, não existe religião, não existe dogma, não existe opressão nem pressão, enfim, absolutamente nem nada que a impeça ou a impulsione a esse amor.

Lindo, lindo!

bj
R.

Regina Farias disse...

Casal 20,

Exatamente!!!

Essa mulher sensível e temente a Deus simplesmente derruba todos os paradigmas religiosos que só escravizam a pessoa por meio dessa beleza de poema.

Beijos,

Rê.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Aaaaaaaaaaaaaaaaa, kkkk.

Rita disse...

Paz Regina,
Simplesmente lindo,ignoremos o crucificado do título...

Moves-me ao teu amor de tal maneira,

Que a não haver o céu ainda te amara

E a não haver o inferno te temera.

Palavras de amor incondicional,lindo mesmo!!

Boa tarde na Paz doce do Senhor!!

Regina Farias disse...

Rita,

Eu sempre estranhei alguns religiosos exatarem mais ao Cristo Crucificado do que ao Sacrifício na Cruz, entende?

O fato de se dar muito mais ênfase à imagem do Cristo lá na cruz, "derrotado", do que ao Cristo Ressurreto.

Confesso que nunca entendi essa adoração.

E olha que nasci e me creio em tal meio...

beijos,

R.

Regina Farias disse...

Cláudio,

Se ligou agora? rss

bjs

Rê.

Regina Farias disse...

Oops, correção: e olha que nasci e me CRIEI em tal meio...

Affff esse meu teclado rsss

Rita disse...

Pois é Regina,
Não estranhamos mais tal atitude depois que a entendemos ... você entende por isso to comentando, o sacrifício liberta ,enquanto que apenas exaltar um homem na cruz de forma apenas aparente sem o conteúdo da verdade total cria um grande abismo que separa o homem da transformação que renova o entendimento,obra de Satanás para impedir que a salvação alcance os que são movidos pelo ver e não pela fé...
O mal não da trégua,e o Senhor tanto criticou os religiosos por não atentarem para verdade,mas apenas para seu próprio entendimento,a religiosidade torna o homem escravo de si mesmo,o diabo conhece bem o ponto fraco do ser humano...daí essa massa de falsos evangelhos ,onde os homens ainda usam apenas a aparência de piedade,mas negam a eficácia dela...
O fato é que o verdadeiro derrotado gosta de aparecer,então usa os tais religiosos para promover o engano,e a adoração ao que se vê,ainda que seja uma farsa.
Só quando entendemos e aceitamos o sacrifício passamos a adorar verdadeiramente em espírito e em verdade.
Ressurreição entre religiosos não tem prioridade,o que prevalece aí é a cruz e a morte.
Graças a Deus que quem tem Cristo tem a vida!!
Paz!

disse...

Filipenses 2:12: ... operai a vossa salvação com temor e tremor'. A perspectiva trabalhada em Temor e Tremor é de cunho religioso. então devemos servi-lo com temor mas no sentido de reverencia em amor sem medo e sem barganha, servimos por amor!

Adriana disse...

Lindo poema.
Apropriado para o tempo que vivemos, reforça o que queremos e o que não queremos nunca mais.

Sem verniz da religião,sem angustias.

beijocas reverentes an bispa

disse...

mana entrevista com mano René, a última do ano, vamos lá!

Fabiano L. Silva disse...

Muito lindo mesmo, Regina.

Fica com Deus!