"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

domingo, 19 de dezembro de 2010

Emoções Reprimidas




Segundo psicólogos do mundo inteiro, todas as doenças que temos são criadas por nós.

‘Todas as doenças têm origem num estado de não-perdão’, diz a psicóloga americana Louise L. Hay.

Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo e sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir com quem precisamos nos desculpar.

Quando estamos empacados num certo ponto, significa que precisamos indultar mais.

Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão.

Portanto, segundo especialistas, pedir desculpas dissolvem o ressentimento.

A seguir, você vai conhecer uma relação de algumas doenças e suas prováveis causas.

Reflita, vale a pena tentar evitá-las.

DOENÇAS / CAUSAS:

Emoções reprimidas, criatividade sufocada -  AMIGDALITE.

Resistência. Recusa em ver o bem no outro - ARTERIOSCLEROSE.

Crítica conservada por longo tempo - ARTRITE.

Sentimento contido, choro reprimido - ASMA.

Gritos, discussões - BRONQUITE.

Magoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo - CÂNCER.

Medo de aceitar a alegria - COLESTEROL ALTO.

Resistência. Rejeição a vida - DERRAME.

Tristeza profunda - DIABETES

Incerteza profunda. Sensação de condenação - GASTRITE.

Medo, culpa - INSÔNIA.

Ressentimento, frustração, ego ferido - NÓDULOS.

Preso ao passado, medo de não ter o suficiente - PRISÃO DE VENTRE.

Alimentar mágoa - CISTOS.

Congestão emocional: culpa, crença em perseguição - RINITE ALÉRGICA.

Crítica, desapontamento, fracasso - DOENÇA NOS RINS.

Irritação com pessoa próxima - SINUSITE.

Alimentar mágoas. Acumular remorsos - TUMORES.

Medo. Crença de não ser bom o bastante - ÚLCERAS.

Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado - VARIZES.



(Postagem antiga; recebida por e-mail; autoria não-identificada)





"O coração alegre é bom remédio,

mas o espírito abatido faz secar os ossos."

(Provérbios 17.22)



11 comentários:

CARLOS HERRERA disse...

Ótimo post Regina
Doenças emocionais que vazam para o corpo...são reais e quase 80 % das enfermidades..
A enfermidade da alma está localizada numa região que a mão do médico não pode alcançar...

embora, tenhamos ótimos psicologos e psiquiatras..o melhor remédio continua sendo a palavra de Deus, que é a espada de dois gumes e que penetra as profundezas da alma, trazendo a cura e a sanidade do ser!
bom domingo!

Regina Farias disse...

Carlos,

Você tem toda razão, não existe remédio mais eficaz!!!

Mas como eu recebi assim quis colocar na íntegra (e é até proposital rss para vcs enriquecerem com seus complementos) porém também sei que embora a psicologia seja necessária e muito importante como coadjuvante no processo, CURA definitiva só em Jesus. Falo de cátedra, já tive meu tempo de análise. Sou de uma geração onde análise era modismo.Sim, modismos mesmo, pasme, porque curar-se que é bom... rssss

Mas eu entendo também que da mesma forma que buscar ajuda do médico especialista em mente é decisão pessoal, buscar ajuda "lá do Alto" é mais pessoal ainda!

Enfim, podemos "dar as dicas", mas tomar a decisão é de cada um...

Valeu, bom domingo pra ti tb e tua família

bjs

Rê.

disse...

Li um livro do Pr. Ciro que fala sobre isso, AltoAjuda ou Ajuda do Alto, muito bom, fala que tem coisas que só Jesus tem poder de curar, como disse Carlos ninguém pode penetrar na alma e no Espírito, só o Espírito Santo. Ninguém conhece o interior, podem até achar que conhece, podem analisar os outros, mas lá no mais profundo ser, só Jesus, glória a Deus por isso. Paz mana. bjs!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Rê, não duvido, pois a somatização deve ser a forma do corpo expressar algo que se passa do lado de dentro. O ódio e o recentimento são venenos poderosos, o perdão cura e liberta, sei disso por vivência. Excelente post. Vou publicar lá no susto de amor. bj

René disse...

Rê,

Essa psicóloga viajou na maionese!! Não quero diminuir o impacto negativo que o ‘não-perdão’ provoca em nossa vida, mas, daí a dizer que todas as nossas doenças são devidas a isso, é, no mínimo, divagação inconseqüente!

Essa pessoa não levou em conta nenhuma outra possibilidade de causas internas e externas, tais como bactérias, fungos, vírus, conseqüências de traumatismos e, muito menos, a própria corruptibilidade do corpo humano. Não só não levou em conta, como, ainda, indica uma busca (deve estar sugerindo busca no subconsciente e, portanto, acompanhamento psicológico) pela pessoa que não foi perdoada por nós, a fim de que a perdoemos, deixando implícito que a doença será curada, quando da ‘liberação’ do perdão.

Sabemos, pela Palavra, que não perdoar nos leva ao sofrimento e à morte. Mas a abordagem feita na matéria é incompatível com a realidade, ao afirmar que “TODAS AS DOENÇAS têm origem num estado de não-perdão”.

Além do mais, tal visão nos remete ao cumprimento da lei do perdão para o nosso próprio benefício, quando a Palavra nos indica o perdoar como um resultado voluntário de se ter recebido a Graça do perdão de Deus! Não é uma troca a ser feita, mas, sim, algo que flui naturalmente em uma via de mão-dupla.

E, como você disse, “cura definitiva, só em Jesus”, mesmo quando adoecemos por esse motivo!

Paz!

Regina Farias disse...

René,

Concordo com você em relação ao perdão não ser algo negociável, como nada é negociável quando se ama incondicionalmente. Mas é incontestável que a nossa cura interior começa do perdão. Isso é básico. Perdão que gera reconciliação e consequente troca saudável nas relações. Principalmente perdoar a si mesmo de tanto peso de culpa que se carrega ao longo da vida e que muitas vezes nem definimos conscientemente. E isso, claro, só com uma experiência verdadeira com Jesus.

E, de fato, houve uma exacerbação na colocação da psicóloga, mas eu entendi que ela quis se referir ao ser humano como ser integral. Daí a expressão "psicossomática" para definir sintomas de males em geral: físico, psíquico, emocional, afetivo e espiritual; e sempre relacionados com o que vivenciamos no nosso cotidiano, seja na família, no trabalho ou entre amigos.

Eu vejo que há uma interligação não apenas lá fora, como dentro de cada indivíduo, não há como dissociar. E é claro que existe essa ligação; dias atrás fui surpreendida por dois pivetes no sinal batendo com firmeza nos vidros do carro de um lado e de outro, pedindo dinheiro, gritando "abre essa p... já" e eu só dizia com firmeza que nem tinha dinheiro nem ia abrir a porta; não tardou para o sinal abrir e eu enfiei o pé. Só que imediatamente eu senti uma dor terrível num ponto fixo da região lombar, uma dor insuportável e foi simplesmente do susto. Fui me acalmando, mentalizando que havia passado o perigo, fazendo exercício de respiração e dizendo pra mim mesma que estava tudo bem. Mas a dor estava lá instalada enquanto eu "me dizia" aquilo e aí foi melhorando e eu fui começando a cantar um louvor e vim cantando até chegar em casa. Chegando aqui contei aos meninos. Eu sei que Deus estava comigo, mas cabia a mim não entrar em pânico. Ele me deu as ferramentas, eu que tinha que usá-las.

Regina Farias disse...

Eu considero super válida essa relação entre as doenças e nossas emoções, principalmente pela sua importância para nosso autoconhecimento e aplicação disso no relacionamento saudável.

Não tenho formação acadêmica na área mas sou uma eterna curiosa pela mente humana. Além do mais, vejo essa mesma abordagem feita por Jesus em diversas situações, pois sua preocupação sempre foi pela cura da alma, causadora de muitos males no corpo.

Veja o exemplo citado recentemente aqui no blog a respeito do homem que jazia há mais de 30 anos à beira do tanque de Betesda. Ele estava paralítico na alma, por isso não andava. Para mim, ali é a clássica doença psicossomática.

Lembro-me que uma vez eu assisti uma pregação de um pastor muito culto, muito viajado, conhecido pela sua intelectualidade e eu fiquei bastante reflexiva quando a certa altura ele disse que salvação, em hebraico, significa "cura da alma". E saiu discorrendo sobre o que o psicólogo Jesus dizia às pessoas que encontrava e curava. Então, percebi que os ensinamentos por meio de cada cura daquela servem de parâmetro para resolvermos nossos problemas relacionais e beneficiar nossa saúde emocional.

Como diz o Carlos, a palavra de Deus é o melhor remédio. e eu reitero: o remédio mais eficaz!

Ah o livro de Provérbios diz que "o espírito abatido faz secar os ossos" e eu tenho um irmão que secou dois ossos, literalmente! Durante anos ele viveu uma senhora opressão, um sentimento de culpa filho da mãe por ter largado a familia por outra mulher e depois de muitos anos com seu corpo somatizando aquilo tudo não deu outra: mieloma, câncer nos ossos. Sofreu pra caramba, fez transplante de medula, teve recidiva e vive na corda bamba. Doença psicossomática, claro.

É assim que vejo...

René disse...

Rê,

Concordo com você em gênero, número e grau.

Meu comentário se pautou no termo "todas as doenças".

Mas o que você diz, é também o que defendo...

Paz!

Regina Farias disse...

René,

Eu sei que você concorda, porque você sabe de tudo isso que foi colocado tão bem quanto eu, ou talvez até mais!

Mas como costumo fazer, eu aproveitei o gancho da sua contestação super oportuna e perfeitamente cabível, para dar mais ênfase ao assunto, ampliando-o, pois afinal é sempre bom que haja mais e mais esclarecimentos e "apartes".

Aí junta a fome com a vontade de comer e dá esse comentário/jornal rss...

Sim, porque eu adoro escrever... E sobre esse assunto então...)

Paz pra ti tb

R.

Regina Farias disse...

Rô,

Eu vi a "chamada" do livro do pastor Ciro no teu blog. Vou procurá-lo nas livrarias aqui. Fiquei curiosa.

Beijos,

Rê.

Regina Farias disse...

Cláudio,

Eu também tive uma experiência assim...

E valeu por publicar no teu blog, embora não seja um texto meu rss

Beijos,

Rê.