"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Acerca do Jardim





Dias atrás, durante festinha de aniversário de criança e em conversa descontraída e despretensiosa com um grupinho sobre lendas e achismos acerca do sofrimento humano - a começar das dores no nascimento - arrisquei solenizar usando um texto bíblico. Mais precisamente Gênesis 3, quando Deus diz que deixaríamos de viver naquele jardim para vivermos entre cardos e abrolhos.

E, mesmo alguns poucos ali na roda assentindo, concordando, outros silenciando, a conversa parou por ali, como se pelo meio, como algo visivelmente interrompido. Aquilo me inquietou porque o estranho é que, nesses encontros tudo é muito bem aceito. Piadas “pesadas” então, nem pedem licença à criançada, vão logo entrando com a unanimidade dos aplausos, atestando cada vez mais uma espécie de valores invertidos veladamente, onde hoje em dia tudo é muito normal, tudo é muito natural, mas é considerado um senhor mico fazer qualquer referência em rodinhas familiares ao que está escrito no “manual do cristão”.

Voltei pra casa com isso no meu pensamento e, no dia seguinte, acordei firme e com o coração ardendo por esse texto. Não me deixaram dizer lá, mas digo aqui (risos) e até que foi melhor, pois fico mais à vontade discorrendo por escrito sobre certos temas...

Meu primeiro texto do ano! E achei muito legal isso de começar do começo. De Gênesis: o livro que inicia a narrativa da história da humanidade. E de constatar mais uma vez o prazer que Deus teve em criar o homem e a mulher à sua imagem, abençoando-os: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja sobre a terra.

E acrescentou:

Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície da terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será por mantimento.

E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento.

E Deus viu tudo quanto fizera, e eis que era muito bom! ( cf Gn- cap 2 vers. 26 a 31)

Parafraseando o poeta, Ele amou tanto aquela sua obra-prima, que decidiu fazer à sua imagem e semelhança. Pois que, ainda que tenha surgido a mais bela ave ou qualquer outro animal imponente por Ele idealizado, não coube a nenhuma outra criação tal privilégio! E pra completar, ainda fez um Jardim caprichadíssimo e completamente inimaginável por qualquer paisagista renomado, já que era tudo original, tudo natural, tudo totalmente novo!

Entretanto, tendo tudo que um homem e uma mulher quisessem ter - alimento, água, beleza a se perder de vista, o companheirismo humano e ainda a luxuosa companhia do próprio Criador! - eles não tiveram zelo, não quiseram cuidar nem valorizar; preferindo olhar, não mais para tudo que havia ao seu dispor e domínio  naquele jardim, mas para outras possibilidades a partir do mesmo jardim.

E nesse novo olhar, eles resolveram ignorar os planos do Criador, rejeitando-os e seguindo os próprios. Porém, se envergonharam tanto que queriam se esconder Dele. E não deu outra: simplesmente foram expulsos do Jardim. Por isso é que engraçadinhos de plantão dizem que lá no céu há uma enorme fila de gente para encher de porrada esses dois que nos proporcionaram o desprazer de não conhecer o Jardim que nos fora(ô) destinado, restando-nos viver entre os cardos e os abrolhos, que certamente não faziam parte da paisagem tão primorosamente arquitetada.

E como toda escolha tem as suas consequências, vejo que esses cardos e abrolhos estariam ligados não apenas à completa ralação que temos de cumprir para encher a geladeira e a nossa despensa, mas principalmente à nossa vida relacional com todas as suas implicações a começar pelo nascimento, ainda que filho seja herança e recompensa divinas. E ainda que, através de tão sofrido parto, se cumpra o que fora dito. (Gn 1.28)

Há uma relação metafórica entre esses cardos, abrolhos, nossas dores físicas e os espinhos que se cravam na nossa alma, pois à medida que pisamos em plantas espinhosas do nosso chão social e penetramos nas conflituosas relações familiares e religiosas, mais nos angustiamos e nos damos conta de um completo vazio existencial que nos achata a alma (achatar = chatear, humilhar, tornar pequeno). E mesmo dissimulando, passamos a viver/sentir uma opressão (opressão= pressão de dentro pra fora) uma angústia, uma dor, um medo, uma insegurança, um desejo enorme pela harmonia sem saber que toda essa ansiedade é a eterna busca pelo retorno ao Jardim.

E foi então, que, em outro jardim chamado Getsêmani (prensa - pressão) aconteceu que Jesus, agoniado e entristecido, orou. E se preparou para receber o amargo cálice que, segundo Ele mesmo falara, não sendo possível passar sem que ele bebesse, se fizesse a vontade do Pai! Realizando-se assim - por meio de Seu sangue - a Perfeita Aliança que nos purifica e nos reconcilia com Ele, com os outros e com nós mesmos, fazendo do nosso coração um Jardim cuidado e regado pelo Seu Espírito.

RF.





(Hoje faz exatamente dois anos que inaugurei este novo blog com o texto acima).

14 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

oi, beleza? como foi as festas de fim de ano? engordou muito? estou fazendo essa pergunta a todas minhas amigas blogueiras e acho que estou cultivando a minha cova...rss

você sabe, né, que eu não leio gênesis literalmente. lê-lo assim nos faz perder todos significados simbólicos, psicológicos e literários do texto; mas mesmo lendo-o literalmente, por ser tão rico, ainda muito nos pode falar, como você bem fez nesse primeiro texto do ano.

p.s: perguntar não ofende: por que eu tenho que pagar pelo que o adão e a eva fizeram há não sei quantos milhares de anos atrás?

essa questão teológica sempre me rendeu boas discussões em rodas de amigos que cultivavam e cultivam o hábito de conversar sobre a bíblia.

Regina Farias disse...

Afff Edu, vc já começa o ano com perguntas rss

Rapaz, desde o Natal que eu comia coisa que engorda, acredita? Daí não deu outra, desde segunda que tô na tal desintoxicação e recomeçando caminhada pra perder não apenas os 4 que adquiri, mas perder mais 5. Mas eu consigo! rs

Ah e a bíblia, tão cheia de figuras de linguagem realmente não dá pra se ler literalmente. Isso sem falar do contexto, da época, do que rolou... O que muda é a leitura a partir da Palavra.

Quanto a pagar, a gente não tem que pagar nada, já está tudo pago. E a preço de Sangue. :) E isso é mais que questão teológica, é fato histórico, aconteceu.

Mas que eu vou entrar na fila da porrada, ha isso eu vou he he

Enfim, o povo fala, fala, fala, mas é que o povo gosta de conversa mesmo rss liga não. ;)

Se bem que tu sabes disso tudo, tá só tirando onda meizzz.

Beijos,

Rê.

João Carlos disse...

Tô falando que ele voltou com a corda toda?

René disse...

Rê,

Você começou o ano muito bem! Essa correlação entre os dois jardins mais importantes para a humanidade e entre os dois tipos de homem formados por Deus: um, é o jardim que, apesar de perfeito, está relacionado à queda; o outro, apesar de suas imperfeições, está relacionado com a ascensão; um, foi testemunha da separação; outro, foi testemunha da reconciliação!

O primeiro homem disse (como qualquer um de nós diria, em seu lugar) "faça-se a minha vontade", enquanto o segundo disse "faça-se a Tua vontade"!

Acho graça que toda a humanidade, praticamente, até hoje, ainda diz o mesmo que Adão e Eva disseram: "A culpa não é minha! É do outro!".

Abraços e Paz!

Adriana disse...

Sabe, acho engraçado que astrologia está cada vez mais em alta, entre intelectuais inclusive.

Eu sou generalista. Fale de fisica quantica que ficarei feliz, fale de antropologia que a alegria será maior.

Contudo nada me falo tão forte ao coração como as Escrituras,sem adorar o livro, eu prefiro uma boa leitura do Genesis a certas baboseiras hype.

Posso dar um pitaquinho na duvida do Dudu?

O homem pós moderno aceita bem, muito bem, a influência ontogenetica e a filogenetica, não vejo dificuladade em aceitar que sou fruto de um homem original e com isto carrego certas "marcas".
O inconsciente coletivo me dá pistas de isto é possivel.

Espero que o Dudu não venha me perguntar sobre as gordurinhas.

Eu fico doida com isto!! ai que ódio.

Abraços reverentes beijos para todo o presbitério.

Regina Farias disse...

Meus amigos,

É certo que torna-se repetitivo, mas confesso que é super valioso pra mim o comentário/complemento de vocês. Inclusive o de Edu, que sei que é proposital, e que nos impulsiona a refletir mais ainda. Acho isso tudo muito oportuno e profundamente necessário!
Vocês não têm noção do quanto Deus ministra o meu coração. (Principalmente em momento que me sinto meio "desfalcada", digamos). Como dizia mecanicamente e a todo instante, uma empregada de minha mãe: só a Graça! :)

Deus os abençõe a todos! (E PAZ, como dizem o Renê e a Rô rss tô pegando he he)

Adriana disse...

Regina,

Você é uma amiga querida.

Sinta-se em casa, por aqui circulam os irmãos que você escolheu e que escolheram dar valor ao que você acredita.

Podemos não concordar em tudinho, mas eu preciso e quero ouvir o que você tem a dizer.

é um prazer,

um aprendizado

uma alegria que repercuti no meu dia.

Obrigada por exisitir

disse...

Re lindo o seu texto, e siba que também vou entrar na fila. rsss
Adoro te lê, você esta cada vez melhor mana. Deus te abençoe muito. Bjs!

Regina Farias disse...

Dri,

Você aprendeu uma grande sacanagem: me fazer chorar. Que coisa! afff :)



Rô,

Escrevi esse texto em 5 de janeiro de 2009, inaugurando este novo blog, quando migrei de outro, havendo passado mais de um mês sem escrever sobre nada nem pra arquivar, como costumo fazer há séculos rss Aí, dando uma espiada casualmente ontem nos antigos textos pensei em repostar o primeiro porque coincidiu com a data, entende?

E melhores todos nós que temos boa vontade vamos nos tornando, apesar das dores... Aliás, é na dor que nos aperfeiçoamos, estou bem certa disso!

beijos,

R.

Regina Farias disse...

Quero dizer:

É na dor que somos aperfeiçoados por AQUELE que usa de amor, misericórdia e eterno perdão.

besos

Eduardo Medeiros disse...

ok, ok, vou reformular: por que jeremias disse que os filhos não levariam os pecados dos pais? foi pago, nada, amiga, eu que não me converta a jesus para ver se não vou queimar no inferno...

espero que todas vocês fiquem magras em 2011 kkkkkkkkk

sim, gosto de levantar reflexões. isso ainda não é pecado, é? rsss

beijos

Regina Farias disse...

Tá bom, Edu, você quer conversar, bora.

Se bem que euzinha detesto esses papos teológicos/existenciais rss

Primeiro não se trata de conversão a Jesus, mas uma transformação (mudança de conceitos) POR MEIO de Jesus, a partir de Jesus, do Evangelho que é a Boa Nova, a Nova e Eterna Aliança de Deus para com TODOS.

Depois, por meio do profeta, Deus aponta essa Nova Aliança onde cada um terá a oportunidade de ter uma relação pessoal com Ele, daí a responsabilidade ser individual, cada um assumindo a consequência de seus próprios atos.(JR 31:29.30)

Quanto a se queimar no inferno por não aceitar essa Eterna Aliança, me diga onde você ouviu isso. Pois quando leio os Evangelhos não encontro Jesus com nenhuma paranóia por seguidores. Pelo contrário, aqueles religiosos mais rigorosos eram os que o procuravam. E os que o procuravam, mas não simpatizavam muito com a proposta, simplesmente saíam à francesa, como no caso do "jovem rico".

Além do mais, esse lance de queimar no inferno é um departamento que eu não entro, pois não me cabe. Afinal só existe um Julgador nessa parte. Não é da minha alçada, tô foríssima!!!

O que fica bem claro pra mim, entretanto, é que TODOS temos oportunidade de estabelecer um relacionamento íntimo e pessoal com Deus e que o principal elemento dessa Nova Aliança(Por meio do sacrifício da CRUZ) é o PERDÃO pelo qual Deus JAMAIS se lembrará dos nossos pecados.

E gostar de levantar reflexões é saudável, "pecado" é não levantá-las. :)

besos

R.

João Carlos disse...

Esta é minha bispa!!!!!!!!!!!

Ah, vê se tem alguma unçãozinha básica sobrando aí pra me dar!

Sua benção!

Regina Farias disse...

Oxe, pastor que papo é esse? Aqui não se dá nada. Deposite o valor correspondente na minha conta e depois a gente conversa he he

(Me chamou de bispa,eu me vingo à altura. Em dólares ih ih)