"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Efeito sociopsicomidiático




Da concepção de que política é coisa mundana, nos anos 50 do século passado, passando pelo conselho de que irmão vota em irmão, nos anos 80, evangélicos conservadores conseguiram, nesse pleito, pautar candidatos, mídia, e inscrever suas propostas no centro dos debates políticos, protagonizando uma das campanhas mais vergonhosas dos últimos anos, porque amparada em mentiras e exageros.

Ao analisar para o Instituto Humanitas as escolhas evangélicas no primeiro turno da eleição presidencial, a professora Magali do Nascimento Cunha, da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp), lembrou que, curiosamente, o demônio sempre faz a escolha pela esquerda, um fenômeno cultural relacionado ao imaginário religioso e político. Não se duvide que o próprio Credo Apostólico ampare tal fenômeno, uma vez que o Filho aparece à direita do Pai.

Encerrado o primeiro turno, a revista Época, de 11 de outubro, surgiu nas bancas com a matéria de capa “Deus entrou na eleição”, apontando para o debate sobre aborto e união civil de pessoas do mesmo sexo.

Cada qual procurou se mostrar mais carola, mais católico e mais comprometido com uma moralidade cristã conservadora que o adversário, comentou o cientista social Ricardo Mariano, professor na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, referindo-se à conduta dos candidatos no dia 12 de outubro.

Na avaliação da professora Magali do Nascimento Cunha, esta ação parece ter ultrapassado os limites do bom senso do marketing político e deve levar a uma reflexão sobre o uso da religião como estratégia política, em relação ao folheto de candidato que trazia sua assinatura e frase “Jesus é a verdade e a justiça”.

Para Magali, a grande mídia concedeu protagonismo a evangélicos e católicos fundamentalistas para reforçar as posições da política brasileira mais conservadora (a chamada “de direita”) que tenta retomar espaços perdidos nos últimos oito anos.

Menos zelosa se mostra a imprensa em outros períodos - que não o da corrida presidencial - sobre temas de caráter religioso. Vejam quantos jornais e revistas contam com uma editoria de religião e verão que o tema, apesar da religiosidade do povo brasileiro, entra em pauta quando satisfaz interesses pontuais.

Fato é que essa campanha produziu pautas e vasto material de pesquisa para os próximos anos a respeito do papel da religião na mídia e na corrida presidencial.

Deus, com certeza, nada apreciou ser manipulado dessa maneira por padres, bispos, pastores e políticos, e certamente lhes diria: Me deixem fora disso.

(Adaptado)
Artigo original de EDELBERTO BEHS, via Notícias Cristãs

11 comentários:

Wendel Bernardes disse...

Volto a afirmar, Regina,
que creio que de certa forma, a Igreja tem feito essa 'manipulação'a que você se refere ao longo dos milênios.

Manipulou a religião a ponto de escolher e destituir reis, presidentes e lideranças constituidas ao redor do mundo!
Talvez isso não seja lá uma grande novidade, talvez seja só a religião 'oficial' do mundo adaptando o próprio mundo segundo a sua concepção!

Jesus pouco se importava com a posição do rei Herodes em relação ao pais, muito embora, seu parente, o profeta João, o batizador o fazia!

Mas não creio que João Batista fê-lo com a intenção de derrubar o rei, ou mesmo destituí-lo de seu reinado monárquico. O fez João baseado na Palavra que julga homems pelos seus maus caminhos!


E Jesus, porque não o puniu?
Porque sabia que "seu Reino não era deste mundo".

Creio que devemos nos importar com o cenário político sim, mas nos tormarnos crentes políticos (no pior sentido da palavra) é trocar a fé pelo pior sentimento da humanidade... a hipocrisia!

Abraços, querida!

Luciana Rodrigues disse...

Olá, Regina, te segui e cheguei até aqui!
Siu sua seguidora agora! E vou colocar seu blog na minh alista de blogs pra que mais pessoas passem por aqui, combinado?
Se quiser me seguir lá no blog e puder colocá-lo na sua lista aqui ou trazer meu banner, ficarei sempre honrada!
Espero que a gente não se perca mais!
Obrigada por suas doces palavras!

Bjs, paz e bem!!

Marcos disse...

Ah minha filha ... na hora da eleição, o cara reza o terço de trás pra frente para conseguir um voto kkk

disse...

Olá Re, temos entrevista lá no blog Mulheres Sábias com o Pr Alan Capriles, se quiser fazer alguma pergunta, seria legal. Participe. Paz!

Regina Farias disse...

Meu caro Wendel,

Obrigada por definir em tão poucas palavras a vida pregressa do bicho ômi rss

É isso mesmo! Pois uma coisa é ser político pela própria necessidade comunitária e outra é ser o manipulador e demagogo que Jesus tanto abomina.

Valeu!

Regina Farias disse...

Luciana,

Gostei demais de suas palavras tão concisas e verdadeiras naquele post e já andei lendo outros posts também!
Não vamos perder o contato.
Beijos,

Regina Farias disse...

Marcos,

Esses que assim agem, deviam fundar um novo partido o PSN (Partido dos Sem Noção) rss

Abs,

Regina Farias disse...

Marcos,

Esses que assim agem, deviam fundar um novo partido o PSN (Partido dos Sem Noção) rss

Abs,

Regina Farias disse...

vilge deu tilte e saiu duas vezes he he vou deixar assim :0

Regina Farias disse...

Rô, minha linda,

Não o conheço, mas é sempre bom esse tipo de abordagem, justamente para que a gente passe a conhecer mais e mais pessoas, suas crenças, seu testemunho, enfim seu "achismo" rss Gosto disso :)

Me aguarde,

bj

João Carlos disse...

É bispa, o bicho é feio e tem um buraco no meio....

Foi uma eleição muito escrota, com um resultado muito ídem (para mim), utilizando métodos deprimentes, entre eles a manipulação religiosa.

Me inclua fora dessa!