"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

domingo, 25 de abril de 2010

ADORAÇÃO




Já faz muito tempo que eu venho intrigada com uma expressão que algumas pessoas insistem em dizer que não se usa, a não ser com Deus. E nem precisa entrar na questão etimológica da palavra nem euzinha perder meu verbo rss pra traçar aqui o perfil religioso da pessoa que assim raciocina, atribuindo ao diabo suas próprias leviandades.

E falando em verbo, a palavra é... ADORO!

Tais pessoas pararam no tempo. Não percebem que os vocábulos não são algo fixo MAS dinâmicos e variáveis.

Existe um mecanismo chamado polissemia cuja função é “despertar essa possibilidade de aproveitamento expressivo de certos vocábulos, ao mesmo tempo em que pode provocar ambiguidade”, adquirindo nova roupagem à medida que as coisas acontecem e conforme o contexto e ambientação.

E olha só: isso não tem nada a ver com “a natureza imutável de Deus”, portanto eu já advirto numa boa aos xiitas de plantão que não me venham com essa. Pois me lembro de certa feita quando conversávamos em um ambiente virtual e alguém usou a expressão “sou fã de fulano de tal” e aí não deu outra. Entrou um desses fundamentalistas ferrenhos (redundância he he he) despejando sua verborragia a respeito de fanatismo que chegou a ser hilário. Ai, mas também cansa a beleza, bora combinar rss

Portanto, nessa nova roupagem devidamente permitida, de repente o termo ADORAR nada mais é do que uma ênfase para algo que se gosta muito, só isso. Proponho que saiamos dessa casca grossa, dessa neura espiritual, que raciocinemos e vejamos que não é nada ligado à idolatria e unicamente uma força de expressão.

Dá dó de ver crianças inocentes e já bitoladas por ensinamentos engessados sendo castradas em sua forma mais pura de expressar-se. Quantas vezes observo algumas delas conversando animadamente sobre algo próprio de suas idades e com a empolgação idem... Aí no meio da conversa pueril deixam escapar um “adoro” sem querer e imediatamente põem a mão na boca e, repreendendo-se, acrescentam inocentemente a REPETIÇÃO de meras palavras que lhe foram repassadas sem nenhuma explicação mais ampla, recitando algo do tipo:

-“Eita, adoro, não. Adorar só a Deus”.

E assim nossas crianças vão deixando de ser espontâneas, tornando-se um dia as adultas dissimuladas e equivocadas que acreditam no poder sobrenatural de meras palavras em detrimento do que se passa realmente no seu coração.

Por outro lado...

De fato, não há dúvida: adorar só a Deus. De todo coração. De toda a alma. Todas as forças. Todo o entendimento.

Sim, está escrito! (Lucas 10.27)

Observar - e praticar! - o TODO, e não parcialmente. Mas aí as pessoas se permitem algumas parcialidades fugidias (Escapatórias bem escondidinhas aqui e ali longe do campo de visão do líder da igreja, claro! Como se ele não agisse assim também...), alguns subterfúgios... Enfim, pequenas idolatrias fragmentadas, alimentadas e realimentadas lá no fundinho do coração e praticadas no cotidiano de forma que as denunciam escancaradamente e que não há como esconder de todo mundo e ainda que elas não VERBALIZEM essa ADORAÇÃO.

Essa idolatria é muda e sutil, que mascarada e dispensando qualquer ênfase ou "superlativo" verbal,  vai substituindo o Deus verdadeiro e promovendo um auto-engano terrível no qual se diz da boca pra fora que é Ele quem comanda a vida PORÉM no coração/ação  honra a outros pequenos deuses.

Quantos de nós bate na boca para não expressar por meio de palavras o culto paralelo que rendemos todos os dias a nossos pequenos deuses interiores:

- “Adoro bolos e doces”

- “Adoro minhas coisas pessoais”

- “Adoro meu carro”

- “Adoro minha vidinha egoísta”

- “Adoro meu quadrado e que ninguém ousa pisar”

Adoro, adoro, adoro... E assim caladinho e alimentando essas pequenas idolatrias não confessadas oralmente, segue-se dizendo adorar só a Deus (Mas que deus é esse?!) pisoteando e provocando discórdia, tristeza e desentendimentos.

É só raciocinar um pouco e parar pra pensar, não precisa ser muito inteligente, não. Basta estar disposto a acertar. Afinal vivemos todos em constante processo de aprendizagem.

E refletir:

Se eu afasto as pessoas, se eu provoco decepção nos corações das pessoas, se eu as entristeço com o excessivo e constante uso mudo e gritante do pronome possessivo MEU, então que Deus é esse que eu tanto ADORO?

É disso que estou falando: desse sentimento de POSSE, desse apego exagerado (outra redundância rss) às coisas, e que provocam estragos bem maiores do que meras palavras. Essa é a ambiguidade perigosa e diabólica.

Ora, quem quiser falar da natureza imutável de Deus, fale do único culto que a Ele importa.

E fale que não existe nenhum altar de culto FORA DO AMOR AO PRÓXIMO!

Pois este é o segundo mandamento que, diga-se de passagem, engloba todos os outros referentes ao relacionamento com DEUS E COM O OUTRO.

Essa é a verdadeira adoração: em espírito e em verdade. (João 4.4)

O mais é acréscimo de homens que - para seguirmos sua pretensiosa e castradora cartilha religiosa - mascaram a verdadeira vontade de Deus para nós:

Que nos reconciliemos com Ele, com nós mesmos e com cada um de nós por meio do sacrifício definitivo feito na CRUZ.



E eis que certo homem, intérprete da Lei,
se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe:

Mestre, que farei para herdar a vida eterna?

Então Jesus lhe perguntou:

Que está escrito na Lei? Como interpretas?

A isto ele respondeu:

Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração,
de toda a tua alma, de todas as tuas forças
e de todo o teu entendimento;

e:

Amarás o teu próximo como a ti mesmo”

(Cf Lucas 10: 25 a 27)

11 comentários:

Paulinha disse...

Amiga REGINA,

Que texto maravilhoso!!

Olha, infelizmente é esta a realidade que ainda vivenciamos....a realidade de que muitos têm o pensamento bitolado, e acham que ADORAR é só adorar a Deus, sem ao menos entender realmente o significado desta adoração...e consequentemente, o que acaba influenciando no ensino-aprendizagem das crianças, que também serão fututos homens e mulheres com pensamentos bitolados...

Hoje ainda tenho vivenciado exemplos de pessoas próximas a mim, com alguns pensamentos engessados, que é de dar dó....e buscam uma mudança sem antes mudar o próprio modo de pensar..

Mas o que ainda percebo, é que tudo isto deve-se um pouco, pela falta de instrospecção...o refletir olhando para dentro de si, observando que o mundo não foi feito somente PARA SI...mas PARA TODOS...e que temos, por consciência, não pensar somente em nós, mas sim nas outras pessoas também....

Parabéns querida!!
Muita paz na sua vida!!!

Marisete disse...

Caramba! Que bom que você foi ao meu blog e conseguiu se inspirar no que lá estava escrito. Realmente as discussões, ou seja contendas que só entristecem o coração de Deus, não nos edifica em nada.
God Bless!!!

Regina Farias disse...

Oi,Marisete,
Seja bem vinda!

Então...

Faz muito tempo que eu estou devendo a este meu cantinho, um texto sobre isso.

E hoje, depois do que me aconteceu por esses dias nesse sentido, levantei cedinho com esse intuito, com os dedinhos em comichão rsss e por JESUScidência tive o prazer de ler seu texto que só me estimulou mais.

Volte sempre.

Meu carinho,

R.

Regina Farias disse...

Paulinha, linda!

Valeu pelo complemento.

E você, como professora, bem sabe de sua responsabilidade nisso, pois é de criança que começam a impor certos ensinamentos que nada têm a ver com um relacionamento sadio.

Beijo grande,

R.

Regina Farias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Carlos disse...

Regininhaaaaaaa...

Só pra tacar fogo:

ADOREI seu texto!

O bichinha que escreve bunito, espia!

Regina Farias disse...

João, rapaz...

Tu "falaste" igualzin o meu povo do interiorzão do meu NE. :)

Mesmas expressões, mesmo "sotaque" rss

E pára de conversa mole, vou acabar acreditando he he he

E óia quem fala...

Beijos

R.

João Carlos disse...

Regina, minha mulézinha é dai de riba, damos muita risada quando ela começa a falar a 'lingua-mãe', rsrs

Beijo!

Regina Farias disse...

Super Jota:

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahh! Bom, agora tá explicado.

Beijão pra ela!

R.

Eder Barbosa de Melo disse...

"O bichinha que escreve bunito, espia!"2. Como sou do interior do NE (mas bem interior mesmo, vice), então posso. Sem falar que ADORO ler textos assim, ah como me irrita esse tipo de fanastismo, tipo: você fecha os olhos de um amigo por trás e brinca: adivinha quem é? Deus me livre... quem adivinha vai pro inferno, ô povim.

Não tem jeito, virei FÃ do seu Blog, ainda mais com tantos atrativos pra um aluno de Letras. Abraço!

Regina Farias disse...

Éder, meu irmãozinho!!!

Você falando que mora beeem no interior...
E euzinha não sei?!
Nasci no interior, passei infância e parte da adolescência e também morei uma boa parte da minha vida assim, por isso sei do que falo, pois viajei a vida inteirinha de casada pelo país e morando pelo interior do NE, devido ao trabalho de marido.

E só quem já morou assim entende/capta/absorve a riqueza (calor humano, principalmente) que existe nesses lugares, a facilidade que existe para se viver de forma sadia, com qualidade, sem a pressa neurótica da cidade grande rss (Claro que tem que lidar com uma burguesia mais notória devido ao campo de visão mais limitado mas aí é outra história).

E tem mais, amo o RN, ADORO Natal, já morei em Umarizal(Oeste veredas rss) quando bem jovem, assim que me casei, ainda hoje tenho amigos de lá, tem um padrinho de meu filhote, dono do hospital de lá (pelo menos na época só havia um rss)

Ah e lá no meu coment com o João eu coloquei "falaste" entre aspas, mas foi distração pois as aspas eram pra "falasse" como usamos aqui no nosso vício de linguagem he he

Essa do "advinha" foi hilária. Também já vi d+

E cruz, que tem gente que acha que é coisa do diabo? Essa, PRA MIM, é a pior de TODAS as neuras que já vi. O pior de todos os enganos!!!

E quando você diz "danadinha" com alguém, geralmente uma criança? afff logo tem alguém pra chamar a atenção porque danado é o tinhoso lá com chifre rss

Ah a lista é grande. Daqui a pokito vira outro texto aff
Já havia rabiscado alguma coisa nesse sentido, tá por aqui nos meus arquivos, mas venho adiando para um momento em que a veia humorística esteja beeeem acentuada, pra ficar uma leitura leve, pois o tema é pesado rss

Beijo,

R.