"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

COEXISTIR...


'No essencial: unidade. no não essencial: liberdade. em todas as coisas: caridade'


Os cristãos fundamentalistas* que aprisionaram o Espírito de Deus entre as quatro paredes de sua religiosidade pretensiosa, ENLOUQUECEM com essa 'ideia'.

Eles, sim, são os escolhidinhos porque seguem  rigorosamente uma cartilha denominacional...

(E seguem?! tsc tsc tsc)

Alguns destes, certamente, irão se surpreender quando lá chegarem...



RF.


*Contraditório... Como assim, é de Cristo e é fundamentalista?!




Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco
a mim, me convém conduzi-las; 
elas ouvirão a minha voz. 

Palavras de Jesus!





6 comentários:

Artes & Personalizados - Honey Sonhos Digitais disse...

Onde fica a tecla 'Curtir' nessa pleura?

Regina Farias disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ce num tá no feici não ;)

Fabiano disse...

O outro aprisco que Jesus disse não seria os gentios?

Não acredito que um seguidor de Buda, Maomé, Kardec, etc. estejam sendo conduzidos por Cristo. Macro ecumenismo que muitos defendem (não estou dizendo que é o seu caso) é no mínimo incoerente com o que afirmam crer.

PS: Claro que devemos coexistir com respeito, não sou fundamentalista. Nosso inimigo é outro.

Regina Farias disse...

Tudo bem, os não judeus da bíblia eram os gentios.

Mas... E quem seriam os gentios atuais?

Eu não queria me estender, mas antevejo isso rsss afinal sou irremediavelmente prolixa. Então poderia discorrer sobre passagens claras onde além de Deus não fazer acepção de pessoas, Ele ainda é muito duro com os que se dizem ‘povo de Deus’, deixando bem claro também sobre muitos destes ‘ficarem de fora’.

A ideia da postagem é para que a gente possa abrir a mente e refletir sobre nossa suposta superioridade espiritual. É esse pedantismo, essa pretensão, essa boçalidade nojenta que eu repudio, entende?

E, para quebrar esse nojento paradigma meramente religioso precisamos rever urgentemente nossos conceitos e ler os Evangelhos TOTALMENTE despidos do denominacionismo.

E coexistir não significa rezar a mesma cartilha, ajoelhar-se diante dos mais variados deuses e prestar-lhes culto ritualístico e cerimonioso. Não é isso!!! Trata-se do culto no chão da existência. Da vida prática onde se é unido pelo amor sem fronteiras. O amor de Cristo não é um pacote de crenças. Isso é religião. Religião segrega. Coloca muros. O amor une as pessoas. O sentido de ‘coexistir’ é amplo e está acima das religiões, crenças, cerimônias, rituais, preferências e discordâncias.

E se for para seguirmos o que disse e fez Jesus, não há outra alternativa senão nos unirmos a todos em amor. Mas um amor sincero, prático, sem demagogia ou superioridade velada.

‘Engraçado’ que tem denominacionais que defendem com unhas e dentes algumas normas que Paulo estabeleceu dentro daquele contexto mas fazem vista grossa para o que ele mesmo disse acerca do amor. Utilizam de forma distorcida o ‘evangelho segundo coríntios’ mas pulando o capítulo 13. Ou usando o capítulo 13 somente com os da própria crença e a seu bel prazer. Com os das outras crenças, ainda que ditas cristãs, eles olham com ‘piedade’, compaixão’, mas tudo no sentido pejorativo, como se estivessem acima e só eles entendessem de Deus. Isso me enoja, me dá asco!!! E tão somente porque não é esse o propósito do Sacrifício da Cruz.

Observe que em seu ministério terreno, Jesus abordou a samaritana (e outras mulheres) rompendo com TODOS os códigos religiosos da época. Códigos estes que não eram só religiosos, era a própria Lei! Ele transgrediu normas, Ele ultrapassou todas as fronteiras em nome do Seu amor!

Regina Farias disse...

Observe também que em suas parábolas ele usa propositalmente exemplo de pessoas boas e que não era ‘o povo de Deus’.

Ele usa um samaritano (seria o umbandista de hoje?) para exemplificar acerca da única lei que a Ele interessa que cumpramos! Quem é o nosso próximo?! Perguntou o legislador; como posso nascer de novo, foi a pergunta 'non sense' de um legalista extremamente culto que era ‘o cara’ que entendia de tudo e mais alguma coisa sobre religião; e o que governava um povo, mas não conseguia enxergar A VERDADE À SUA FRENTE? Eles não sabiam porque seus corações estavam petrificados/limitados/conduzidos pela rigidez da lei sem compaixão. Alguma semelhança com os religiosos atuais que usam Seu Santo Nome?

Observe ainda que Jesus ficou maravilhado com a fé do centurião e fez questão de dizer com muito entusiasmo que jamais havia visto fé como aquela nem mesmo no meio do ‘povo de Deus’. E, nesta mesma passagem, Ele faz uma declaração contundente sobre os que ‘se assentarão à mesa’, deixando bastante claro que ‘os filhos do reino’ ficariam de fora.

Sinceramente, não sei como os fundamentalistas ‘cristãos’(!?) não conseguem entender algo tão simples.

(E, claro, não estou me referindo a vc. Fabiano. Aliás, diga-se de passagem, que poucas são as pessoas que questionam assim tão respeitosamente como vc. Geralmente levam para o lado pessoal e se enfurecem).

Então, por que um budista, um kardecista, ou um maometano não pode estar sendo conduzido por Cristo? Quem somos nós para determinar quais são aqueles que Jesus chamará de filho ou de filha, como aquela mulher que lhe tocou as vestes? Naquela passagem não consta seus dados pessoais. Ninguém sabia seu RG, sua procedência, seu credo. Não se sabia nem seu nome!

Mas, saiba, apesar de tudo, muito me alegra o desfecho do seu breve comentário. Nenhum desses que você mesmo citou é nosso inimigo. Disse tudo. Pois o inimigo de nossas almas é quem nos coloca contra estes. Aliás, este é o seu papel.

Só digo uma coisa muito séria. Quem quiser ler nos evangelhos sobre o ministério de Jesus aqui na terra, totalmente desarmado e despido das vestes religiosas que limitam e cegam, certamente irá se deparar com algo indiscutível: que Jesus perdia o controle, repudiava e se INDIGNAVA reagindo com veemência APENAS com os religiosos hipócritas e sem compaixão.

Isso já é um bom começo pra quem quer rever seus pretensiosos/equivocados/ingênuos conceitos...

Quem tiver olhos para ver, veja!

Regina Farias disse...

Observe também que em suas parábolas ele usa propositalmente exemplo de pessoas boas e que não era ‘o povo de Deus’.

Ele usa um samaritano (seria o umbandista de hoje?) para exemplificar acerca da única lei que a Ele interessa que cumpramos! Quem é o nosso próximo?! Perguntou o legislador; como posso nascer de novo, foi a pergunta 'non sense' de um legalista extremamente culto que era ‘o cara’ que entendia de tudo e mais alguma coisa sobre religião; e o que governava um povo, mas não conseguia enxergar A VERDADE À SUA FRENTE? Eles não sabiam porque seus corações estavam petrificados/limitados/conduzidos pela rigidez da lei sem compaixão. Alguma semelhança com os religiosos atuais que usam Seu Santo Nome?

Observe ainda que Jesus ficou maravilhado com a fé do centurião e fez questão de dizer com muito entusiasmo que jamais havia visto fé como aquela nem mesmo no meio do ‘povo de Deus’. E, nesta mesma passagem, Ele faz uma declaração contundente sobre os que ‘se assentarão à mesa’, deixando bastante claro que ‘os filhos do reino’ ficariam de fora.

Sinceramente, não sei como os fundamentalistas ‘cristãos’(!?) não conseguem entender algo tão simples.

(E, claro, não estou me referindo a vc. Fabiano. Aliás, diga-se de passagem, que poucas são as pessoas que questionam assim tão respeitosamente como vc. Geralmente levam para o lado pessoal e se enfurecem).

Então, por que um budista, um kardecista, ou um maometano não pode estar sendo conduzido por Cristo? Quem somos nós para determinar quais são aqueles que Jesus chamará de filho ou de filha, como aquela mulher que lhe tocou as vestes? Naquela passagem não consta seus dados pessoais. Ninguém sabia seu RG, sua procedência, seu credo. Não se sabia nem seu nome!

Mas, saiba, apesar de tudo, muito me alegra o desfecho do seu breve comentário. Nenhum desses que você mesmo citou é nosso inimigo. Disse tudo. Pois o inimigo de nossas almas é quem nos coloca contra estes. Aliás, este é o seu papel.

Só digo uma coisa muito séria. Quem quiser ler nos evangelhos sobre o ministério de Jesus aqui na terra, totalmente desarmado e despido das vestes religiosas que limitam e cegam, certamente irá se deparar com algo indiscutível: que Jesus perdia o controle, repudiava e se INDIGNAVA reagindo com veemência APENAS com os religiosos hipócritas e sem compaixão.

Isso já é um bom começo pra quem quer rever seus pretensiosos/equivocados/ingênuos conceitos...

Quem tiver olhos para ver, veja!