"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

quinta-feira, 17 de junho de 2010

O Rei está nu






Há poucos dias vi essa clássica, sucinta e contundente frase sendo usada em comentário de blog muito polêmico, aliás, texto bem antigo, de mais de quatro anos, mas que rende assunto até aos dias de hoje, vez que se trata de um rei posto, deposto e reposto e que continua incomodando a muita gente com sua subversão. Isso me tomou a mente e me fez refletir desde então.

Mas vou logo adiantando que euzinha conto o milagre, mas não conto o santo. E não que eu queira ser a certinha, só quero sossego, pois por andar a navegar por aí, sei do risco de transformar meu cantinho em mera fonte de fofoca, do tipo “vou lançar a bomba e assistir de camarote o circo pegar fogo”. Pelo menos essa é a forte impressão que tem aquele que lê com olhos imparciais, o que eu li no citado blog, entre outros por aí afora. E cá pra nós, parece uma briguinha de comadres onde só se vê uma na arena saboreando os ataques e lambuzando o ego com os tomates e os ovos podres que caem, já que não atingem o alvo,  posto que protegido por sábia e silenciosa indiferença. E depois, pra mim é imensamente cansativo e eu considero uma eterna perda de tempo, ter que ficar no bate bola dos comentários, fora que não me convêm essa invasão sádica de abordar acerca de pessoas com seus nomes completos, endereços, rg´s, idade, família, gostos e escolhas pessoais e sua vida pregressa... Mas tão somente as idéias dessas pessoas. Idéias! E ainda que tenha a ver com a vida pregressa, mas sempre no campo das idéias, pois definitivamente contra pessoas não é jamais a minha luta...

Bem, todo mundo sabe que na historinha do Hans Christian Andersen, o exibicionismo do rei era tanto que dois espertalhões trataram de tirar partido dessa sua fraqueza, porém em desfile especial a inocência de uma criança desmascara os três: os espertinhos e o rei inchado de vaidade. Só que os espertinhos novos ricos já estão longe e o rei ali triste e envergonhado diante de tamanho constrangimento.

Aí eu me pergunto: qual o prazer de se vangloriar com isso? Quem correu pra cobrir as banhas caídas do coitado? Sua vaidade o condenou e o depôs para sempre?

Por outro lado, alguém lançar mão da fábula para fazer certas analogias toscas, e dizer que determinadas pessoas de repente estão completamente despidas, não causa qualquer comoção. Ou pelo menos não deveria causar, bora combinar. Não deveria causar porque o próprio rei em questão foi quem se desnudou a si próprio, só que as pessoas não se deram conta posto que essa nudez é sempre feia aos olhos humanos acostumados a admirar a beleza, a superficialidade, a exterioridade.

Ora, tal rei está nu faz muito tempo e as pessoas não conseguem enxergar isso.

Irônica e estranhamente, tão bela veste é o próprio povo quem coloca. E o próprio povo que o cobre é o mesmo que cobra friamente. É o povo quem alimenta o próprio ego por meio do rei supostamente vaidoso. Na verdade, elas – as vestes – não estão lá. Estão nos olhos de quem assim vê. E nessa minha historinha particular roubada de comentário em blog polêmico, o rei sempre estivera nu. É certo que vez em quando paga caro a espertinhos que querem tirar partido da sua trajetória, do seu desfilar, da sua vida pregressa em meio a principados com suas forças políticas, sociais, suas fortes estruturas com seus encantos e seus fascínios. Mas pagou caro e sempre deu a cara pra bater. E isso incomoda a quem não tem peito pra isso.

Ora, em beeeem menor escala, recentemente eu quase saí do alto do meu salto 12 e também quis quebrar uma meia dúzia de dentes de uma fulana que ousou falar de um filho meu. Fale de mim que no máximo eu só vou achar engraçado, mas não fale de um filho meu não, e principalmente injustamente, que eu viro leoa. E me segurem, por favor! Ainda que depois eu respire fundo e volte a raciocinar e agir como gente equilibrada completamente apta a engolir os sapos que a existência me conferiu. Mas que dá vontade, isso dá...

E eu fico a pensar...

No avesso do avesso o possuído nem sempre é aquele que baba, que se contorce, que revira os olhos, que chama pra briga, que vai à forra e desforra. O possuído pode ser simplesmente o aparentemente calmo, equilibrado, sorridente...

Este se gaba de não possuir o temperamento sanguinário nem usar como arma o próprio corpo preparado para lutas e defesas.

Este tem suas próprias vestes.

E nem por isso livre de ser manifesta a vergonha da própria nudez...

RF.



6 comentários:

João Carlos disse...

Eiiiitaaaaaa

Num falei que estava para derramar fogo do ceú?

Vou reler várias vezes para decifrar os mixxxtérios...rsrs

Beijos

JC

Regina Farias disse...

Rapaz...

Menos, menos. :)

E veja que eu até fui moderada

Mas é que eu fico pê da vida quando alguém cutuca outra só pra ver o mal.

Aí a expõe aos tolos para que estes a apedrejem enquanto posa de juiz.

Num dá, né?

abs,

R.

João Carlos disse...

Agora (após o email) "entendi" o mixxxxtério...

É o que já sabemos em nossa "carreira" como blogueiros: Alguns (muitos???) entram nos blogs "famosos" e soltam o verbo apenas para terem seus blogs divulgados.

Gente falando de gente, nem parece que é irmão em Cristo. O diabo agradece.

Aé parei de seguir um "blogão" de tanto ver que o prato principal não era a Palavra, mas a cabeça de líderes à vinagrete.

E não que não merecessem críticas ao seu procedimento, mas vamos criticar as idéias e não as pessoas...

Eu ein, "tá amarrado"...

Regina Farias disse...

J.C

Acho que sei que blogão é esse que vc fala. Eu também deixei pelo mesmo motivo pois não vejo sentido algum em certas leituras.

Inclusive já fazia meses que nesse aí eu não entrava, daí entrei essa semana e muito me entristeceu pois só me serviu pra constatar a mesma coisa em texto "nada a ver" com dose dupla. Ou seja, dois sendo massacrados em um só texto.

É como eu falei no e-mail, pois não é a crítica em si, mas o "pra que isso" Uma dose cavalar de agressividade, entende?
Só pra ver o circo pegar fogo?

:(

disse...

é isso aí! eu tbm me afastei de um blogão tbm, não aguento mais tanta critica, é claro que faço tbm as minhas, mas não sobrevivo disso rsr ou seja meu blog não sobrevive disso. Olá Regina vim contribuir um pouquinho em seu lindo blog, e te agradecer por estar participando do meu humilde blog. amiga parabéns pelo blog. paz seja contigo!

Regina Farias disse...

Oi, Rô!

Seja sempre bem vinda. Eu que agradeço por suas palavras carinhosas.

E confesso que fui dar uma espiada no teu blog findando por seguir, devido a comentários que vc fez no blog do Eduardo e que me chamaram à atenção.:)

Gosto dessa troca de idéias com pitada de humor e acidez - e até umas cutucadas rss - mas acima de tudo com carinho e com zelo.

Paz pra ti tb,

R.