"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Pela GRAÇA sois salvos... POR MEIO DA FÉ!






Em Efésios 2, onde se ressalta 'porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus…’, podemos analisar todo um contexto em que Paulo estava tratando justamente do perigo do legalismo. Legalismo este, pelo qual a pessoa se utiliza de acréscimos, invalidando a Palavra. E isso Jesus já alertava severamente também, em alusão à TRADIÇÃO ORAL que transmitiam, já naquele tempo – Mc 7.

Aos efésios, Paulo explica como Deus reconciliou a todos com Ele mesmo e uns com os outros como membros do Corpo de Cristo, incentivando-os a viver em amor e unidade crescente, tanto na comunidade, como na família e na questão da batalha espiritual.

Inclusive, nessa epístola, ele enfatiza novamente o que já havia discutido anteriormente sobre gentios e judeus se unirem EM AMOR numa mesma identidade em Cristo. 

Aos gálatas – a quem ele chama de INSENSATOS – enfatizando a fé de Abraão (Daí a expressão à época ‘filhos de Abraão’), ele diz claramente que ninguém é justificado por lei (regras, obras, exigências doutrinárias, etc.) porque, diante de Deus o justo vive pela fé. Isso ele diz, depois de deixar bem evidente que todos que olham unicamente para as próprias obras como mandamento de Deus, estão debaixo da maldição. Pois os que confiam nas tais obras acreditam na própria capacidade de praticar TUDO que Deus mandar e, no entanto, é humanamente impossível  - Já dizia Jesus aos fariseus! - de obedecer à lei completamente e o tempo todo.

Quem desobedecia à lei - que era cem por cento religiosa - merecia a morte. Na Graça há misericórdia. (Forte dica que Jesus dá àquele que deseja apedrejar quem foi surpreendido pecando)
No capítulo dois, ao povo de Éfeso, Paulo aponta o propósito de Deus em oferecer graciosamente* a salvação pela sua misericórdia, eliminando toda a possibilidade de uma pessoa fazer algo para conquistá-la.

*Graciosamente = pela GRAÇA do Cristo da Cruz.
A GRAÇA nos dá o que não merecemos.
E a MISERICÓRDIA não nos dá o que merecemos.

Vejam que coisa maravilhosa que só um PAI amoroso é capaz de realizar em nossas vidas!

As obras, por sua vez, são CONSEQUÊNCIA NATURAL do Espírito que habita na pessoa. Nada tendo a ver com um tipo de negociata velada que alguns religiosos fazem com Deus. Assim, eu pergunto: qual a diferença desta para a barganha pregada em outras igrejas e que conhecemos por ‘teologia da prosperidade’? Ora, não somos ingênuos (tolos) para não sabermos que só mudam os termos e o tipo de negociação. Naquelas, se prega uma escancarada bênção material se seguirmos alguns passos. Mas, convenhamos, a negociação paganista é a mesma em outras que repudiam essa ‘teologia’.

Senão, vejamos:
Se eu conseguir tal coisa eu vou cumprir tal voto.
Se eu agir assim, já tenho garantido pra mim um lugar celestial.
Se eu cumprir todas as regras supostamente divinas estará anotado no livro (?) que vai me garantir seguranças eternas.
E por aí vai...

Esse ‘eu, eu, eu’ denuncia não apenas um esforço próprio pra se conseguir o céu, como ainda um tipo de barganha sutil com fortes doses de emocionalismos e manipulação com o divino. E apenas quem está totalmente fascinado pelo doutrinamento não consegue enxergar algo tão nítido.

Vemos dizerem ‘estamos na Graça’, mas na prática da 'vida cristã', o que vemos é pura hipocrisia: aceita-se a Graça, colocam-se acréscimos e escravizam as mentes colocando jugos pesados impossíveis de suportar.

Ora, se estamos na graça, deveríamos ser diferentes, ou seja, deveríamos ser, naturalmente, exemplo de amor, compreensão e respeito para com 'os que estão de fora' e que ainda não receberam a graça na Pessoa de Jesus Cristo como Salvador.

Cristo não morreu por quem está dentro de determinada denominação e sim, por toda a humanidade. E todos que se achegam a Cristo de modo algum voltarão vazios.

Graça significa favor imerecido.
Ninguém merecia o favor do Senhor! 
Não havia um justo sequer! 
Todos pecaram e destituídos estavam da Glória de Deus!
Fomos justificados pela fé em Cristo, não por nossos méritos ou por nossas boas ações. 
Caramba, e o religioso não entende isso?! Será mesmo que a mente está assim tão cauterizada pela determinação doutrinária?

Pessoas que dizem ‘estar na graça’, não respeitam o seu semelhante, esnobam, agridem, quando não silenciam em seu prazer mórbido, ou dizendo em voz baixa uns aos outros: ‘deixem-na! Ela não entende porque isso não é pra ela, nós é que somos os queridinhos do Pai, deixa ela arder no inferno’.

Ostentando uma fé que beira o fanatismo, massacram ‘os outros’, com arrogância, orgulho e exclusivismo.

Como se isso fosse o caminho para a santificação...

4 comentários:

Rita Lemes disse...

Oi Regina, muita paz!!
Belezura de texto, eu gosto especialmente de tratar de graça X legalismo rsrs
Favor é misericórdia, justificação pela fé e nada mais que isso, lembrando que da origem da palavra hebraica emunah / fé, retiramos mesmo é uma tal de fidelidade.
Nenhuma obra ou ação nossa nos salvará, porque todos pecamos e carecemos do favor mesmo...

Talvez o que exista do meu ponto de vista e entendimento seja uma incompreensão da parte de algumas pessoas que pensam que votos e dinheiro oferecido a templos possa dar-lhes algum benefício e trazer um favorzinho a mais diante do Pai,também tem um outro grupo que pensa que por obedecer a lei [torah/instrução] será justificado, mas muitos desses na verdade não entendem a diferença entre obediência X legalismo, ou obediência associada apenas a bençãos, haja visto que é uma promessa do próprio Eterno..

Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição;
A bênção, quando cumprirdes os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que hoje vos mando;
Porém a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do SENHOR vosso Deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes.
Deuteronômio 11:26-28

Como fica claro as bençãos que enriquecem e não acrescentam dores são as que vem da promessa,contudo há um equívoco de algumas pessoas que pensam serem abençoadas por ofertar e dizimar ou fazer votos descabidos, ainda tem os que erroneamente pensam que quando se fala em guardar a lei/mandamentos está se sugerindo salvação por obras...
[cOISA IMPOSSÍVEL, já que não da mais pra cumprir toda lei, apenas parte dela em forma de mandamentos]
Quando a verdade é uma só , um só Caminho

Justificação pela fé/fidelidade

Bençãos do tipo:
-saúde
-descanso físico
-prosperidade [espiritual]
-pão de cada dia do justo que não é desamparado e da descendência que não mendiga o pão
-leito sem mácula
e outras tantas são na verdade
resultado de uma vida separada/santa por ouvir a voz do Senhor e respeitar seus mandamentos que são saúde e vida abundante.

Nada de novo debaixo do sol, apenas equívocos, mal entendidos
falta de conhecimento das Escrituras ou interpretação segundo a ótica religiosa distorcida que teima em favorecer o sistema pagão e idólatra de tal mãe tal filha..
Mas, enquanto houver quem alimente os enganos, a operação do erro serão uma triste realidade ....

O fim de tudo já disse o sábio é teme a D'us e guarde seus mandamentos, que esse é o dever de todo homem.

O amor cumpre a lei como bem disse Paulo..quem ama cumpriu...

Levemos em conta a nossa fidelidade buscando uma vida de comunhão, compromisso e temor ao Poderoso, amando-O e respeitando-O , fazendo o bem, seguindo a paz, pois o resto que se aprende é na meditação diária da Palava viva e eficaz.

Desculpe a demora rsrsr
bjs Regina!!

Highlander disse...

Olá Regina!

Com este parágrafo "...Pessoas que dizem ‘estar na graça’, não respeitam o seu semelhante, esnobam, agridem, quando não silenciam em seu prazer mórbido, ou dizendo em voz baixa uns aos outros: ‘deixem-na! Ela não entende porque isso não é pra ela, nós é que somos os queridinhos do Pai, deixa ela arder no inferno"....você está reprovando o comportamento infantil desses coitados desses irmãos que não conhecem o evangelho ou, isso é uma indireta contra a denominação CCB?

P.S Andei lendo alguns comentários seus no blog do Mário e parece que você tem repulsa pelos ""ccbianos"..

Regina Farias disse...

Não sei exatamente qual a sua intenção com essa pergunta, nem quais foram os comentários que você viu que o levou a tirar conclusões.

O que eu posso te dizer é que, tais comentários, certamente já foram devido à crítica do próprio texto bem direcionado à CCB. Considerando, inclusive, a experiência do autor do blog a que você se refere com a própria CCB.

Com toda sinceridade ( e é na sinceridade onde, ironicamente, faço ‘inimigos’, por ter mais proximidade com as ‘crentices’ da CCB, eu as comento com embasamento em inúmeros exemplos e, obviamente, por ter uma liberdade responsável para comentar.

Mas se você não for tendencioso nem estiver armado rss, irá observar no meu blog que eu não me limito a um tema específico e que eu comento sobre tudo e de modo geral.

Desarmando-se, irá perceber que não se trata de nada pessoal e muito menos de ‘indireta’ por não ser do meu feitio. Aliás, observe que eu não sou anônima, tenho a cara limpa, não questiono ninguém por trás de um pseudônimo, tenho nome e endereço aqui e nas redes sociais que me exponho.

Dependendo do tema abordado, eu cito o nome da entidade religiosa, da seita, da heresia, da confusão, seja lá o que for. Não tenho nenhuma dificuldade com isso.

Aliás, sou conhecida por ‘dar nomes aos bois’. Só não cometo a asneira de generalizar, pois sei que no mesmo ambiente, por mais que se ‘reze a mesma cartilha’, estão pessoas que Deus deu a capacidade de pensar por si mesmas , e não se permitirem ser robotizadas e manipuladas.

Em relação ao parágrafo que você destaca, lamentavelmente vejo muito isso em pessoas de várias denominações diferentes. Infelizmente. Mas, devo admitir, que certamente por conviver com muitas pessoas da CCB há muitos anos, eu vejo isso nelas com bastante frequência e de maneira muito forte.

Perdão, mas eu não sei usar de demagogia e dizer que são uns coitados que não conhecem o evangelho. Tenho meu estilo literário e minha forma pessoal de expor as minhas impressões a partir das minhas vivências, minhas experiências pessoais, enfim, do que eu tenho aprendido sob a perspectiva do Evangelho da Graça.

Veja ‘Highlander’ (risos), vamos ser sinceros. O que acontece, é que algumas pessoas (seja de que denominação for) têm a péssima mania de enjaular Deus em seus moldes doutrinários. Então quando a gente denuncia esse tipo de coisa, por não condizer com a Palavra, a carapuça serve, elas se ofendem e acham que estamos perseguindo sua denominação.

É isso. Agora só falta você se apresentar rsss

Regina Farias disse...

Rita, você demora mas quando vem faz uma complementação com maestria!

Só lamento porque as pessoas preferem ser religiosas e 'obedecerem' a um kit religioso que só aprisiona e neurotiza. Enquanto a 'obediência' que Deus requer de nós está ligada à nossa saúde em todos os sentidos, que, em consequência, nos direciona a ter uma relação saudável com o nosso semelhante (e cuja palavrinha mágica que move tudo é o AMOR).

E, como você diz ainda, bênçãos que são resultado de um estilo de vida dentro de perspectiva de Deus. (e não da doutrina religiosa).

Valeu pelos acréscimos valiosos!!!

bjssss

R.