"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Nascer de Novo





Lendo o texto "O Rico e o Pobre" imediatamente me passou o filme da minha vida.
Não que eu tenha experimentado riquezas do tipo “ostentação propriamente dita” nem também que eu tenha virado catadora de lixo.

Não. Não cheguei a nenhum desses picos que muitos vivenciam nesse mundão afora e aqui nesse meu comentário não cabe qualquer julgamento acerca da existência desses extremos.

Apenas me veio à memória a mudança drástica que eu experimentei quando a infidelidade bateu à porta da minha vida conjugal, provocando uma significativa queda de padrão.

Tudo ruiu.

As coisas materiais que dão muito conforto e uma falsa segurança começaram a evaporar, a escapar das mãos, do intelecto, do coração, do ser.

Como diz a antiga canção: “meu mundo caiu”.

E isso não é um lamento, apesar da triste canção. Foi mesmo necessário que meu mundo caísse, que houvesse uma desconstrução total, uma reviravolta completa, enfim, uma metamorfose, para que eu caísse literalmente “na real”.

E nessa desconstrução não pesa apenas o lado material, mas todo o conjunto que nos sustenta ilusoriamente e que engloba o ser como um todo: física, mental, emocional e espiritualmente. Faz-se necessário esse desmonte dos pequenos deuses da nossa existência para que, em repaginada total, a gente enxergue quem é de fato o nosso Deus. O Deus que nos segura em queda vertiginosa.

O mais curioso de tudo é que nem a tempestade que vem nem a bonança que se instala, acontecem como por mágica em um único passo. Ambos passam por um loooongo processo até chegar às vias de fato. E às veias!!!

Ou seja: o rebuliço que desencadeia situações irreversíveis trazendo a mudança necessária - e dentro da perspectiva de Deus - não acontece da noite para o dia.

E depois que a tempestade passa, você analisa os destroços e consegue dizer mais ou menos como disse Paulo aos filipenses (4:10.13) sobre ter APRENDIDO a viver contente em toda e qualquer situação.

É, de fato, um aprendizado.

Ele diz:

“Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez”.

E é aqui que muitos se vangloriam batendo no peito, dizendo: “tudo posso naquele que me fortalece” sem atentar para os versos anteriores.

Pois aqueles que “se acham” semideuses devido a um suposto poder concedido por um deus igualmente caprichoso e infantil, não atinam para as entrelinhas de um contundente “tudo posso SUPORTAR n´Aquele que me fortalece”.

Meu carinho,

R.

15 comentários:

Gresder Sil disse...

As vezes me parece que passamos boa parte de nossas vidas construindo um castelo só para depois ele ruir diante de nos.

Pois o que nos garante que o que fazemos hoje no sentido literal, ira permanecer de pé amanha.

Até mesmo a construção do nosso próprio caráter pode ser maculada com o tempo. Não exste esperança, não existe meios preventivos. Apenas a fé de cada dia par o mal de cada dia.

João Carlos disse...

Regina minha querida,

Sabia que você já tinha ralado muito... dá para ver nas entrelinhas e - agora - neste seu maravilhoso post.

Já passei pela MESMA situação que você: A infidelidade entrou em meu casamento (pela outra porta, não pela minha) e, depois de 14 anos de muita ralação, perdi tudo o que conquistei e estava conquistando (neste segundo quesito inclua um apartamento de 3 dormitórios no Morumbi!).

Recomecei literalmente do zero e hoje vejo que Deus realmente permite que o vaso seja totalmente quebrado, sem que com isso nossa vida se torne um monte de ruínas.

Pelo contrário! Hoje sou mais feliz do que antes, tenho uma mulher que realmente me ama e estou reconquistando cada tijolinho derrubado, pela GRAÇA DE DEUS!

Beijo no coração e passa no meu blog, ando meio carente ultimamente...rsrs

Regina Farias disse...

João

Que bom que você gostou do post...
Quanto a você eu nem podia imaginar, mas graças a Deus que você superou.
E esse, saiba, nem é o primeiro que eu falo assim sutilmente, indiretamente, usando de eufemismos he he he mas aguarde que vem um aí bombástico rico em detalhes rss

Sério, gosto de falar dessas coisa, aliás, não me canso. E você acredita que ainda tem gente que sabe da minha vida pregressa rss e que não acredita que eu me sinto beeeem melhor agora do que quando encarnava a falsa dondoca?!
Ora, nem mentalidade pra isso eu tenho, ué! :) É como eu comentava dias atrás sobre coisas do tipo com a namorada de um amigo de meu filho. As pessoas vestem na gente a máscara que elas impõem e cobram de nós uma postura de um personagem que elas mesmas inventam. Viagem pura!

Enfim...

Por acaso tem coisa melhor e mais perfeita do que um recomeço com Deus verdadeiramente no comando?!

Deus te abençõe!

R.

Marcio Alves disse...

Minha amiga Regina Farias

Demorei, mas enfim cheguei, e gostei da sua sala do pensamento.

Esta postagem que é na verdade em sua gênese um comentário feito na postagem do meu amigo Edson, é muito boa, de um excelente conteúdo.

Quero destacar a sua frase: “Pois aqueles que “se acham” semideuses devido a um suposto poder concedido por um deus igualmente caprichoso e infantil, não atinam para as entrelinhas de um contundente “tudo posso SUPORTAR n´Aquele que me fortalece”.

De fato isso é um fato, pois é normal ser anormal em se pensar ser um super crente, que sempre irá ganhar, nunca irá conhecer e ter derrotas, ou seja, a proposta é deixar de ser humano para se torna um semideus!!!

Mas o que em um contexto mais amplo, Paulo nos queria ensinar o que ele ensinou que, devemos saber que em Deus, e, em sua força, nós temos forças para ser forte e enfrentar as lutas e dificuldades, mesmo que seja em meio a derrota e fracasso, mas sempre levantando e seguindo em frente, pois tudo podemos naquele que nos fortalece, tanto vencer como para se frustrar, ter ou perder, pois a nossa vida é assim, feito de vida que é viver transitando numa oscilação entre pólos opostos e extremos, numa gangorra, em um dia estando lá em cima, outro dia estando lá embaixo, num sobe e desce, num desce e sobe.

Abraços

Regina Farias disse...

Olá, Márcio

É um prazer ter aqui mais um membro da C.P.F.G. (risos)

Então...

O que eu quero dizer é que com Deus no comando suportamos sim, todos os altos e baixos.

Imagine alguém colhendo todos os louros de suas vitórias pessoais sem Deus no centro disso tudo. E também sem Ele em situação inversa, lá no fundo do poço com todos os valores e conceitos postos em xeque.

Esses extremos que dão uma REMEXIDA pra valer com o nosso orgulho, nossa reputação e nossa vaidade nos aponta "no devido tempo" que o mesmo Deus que "pôs a eternidade no coração do homem" é o Único que sacia a fome da nossa alma. Seja em que circunstância for.

Valeu e volte sempre,

Beijo no bêibe :)

R.

Eduardo Medeiros disse...

Oi Regina, sempre leio teus sábios comentários nos blogs do marcinho, do edson, e do gresder, e agora, consegui finalmente um tempo para comentar aqui também. Como você sabe, a turma da Confraria são pródigos em textos e pensamentos e eles me levam quase todo o meu tempo disponível rssssss

Mas agora, com sua licença, quero fazer parte também desse seu "bora ler", ou sua "sala do pensamento" como diz o marcinho.

Pois é, regina, como é difícil saber viver com as situações difíceis que a vida nos impõe. Mas a vida é assim. Durante uma travessia de tempestade em mar bravio, a única coisa que pensamos é chegar ao porto seguro.

E como é bom chegar...

Pois só assim podemos olhar o mar, agora mais calmo, e dizer: "eu passei pela tempestade e agora estou mais forte".

abraços

Regina Farias disse...

Oi, Eduardo!

Seja bem vindo!

Nossa, consegui essa proeza com o comandante?! assim vou ficar vaidosa "também" rss Alegre já estou!

Mas é isso, esse pessoal da "confraria" não só toma o tempo da gente como queima meus dois neurônios affff

Mas é tão bom que eu vivo por lá. :)

E você, como comandante daquelas paragens, também é muito lido, sabia? Seus comentários são verdadeiros ensaios!

Enfim, depois da troca de confetes,(brincadeirinha, viu? Tá vendo? Aprendi rapidim:P) quero reafirmar suas palavras. De fato, é bem difícil, não é nada fácil e como ressalta o Gres (adoro chamá-lo assim rss) a fé de cada dia nos é suficiente, já dizia o Mestre. Isso é psicologia pura e básica. Isso é busca pela mente sã. Um dia eu chego lá rsss

Falando em tempestade em mar bravio, tem um texto antigo de Caio Fábio que eu adaptei e que fala justamente disso. Acho que foi um dos primeiros postados no site dele e eu até já tinha transcrito o mesmo para um antigo blog que está desativado :P É a minha cara, parece que fui eu que escrevi (daí a adaptação rss) mas eu só vou postá-lo aqui no dia do meu niver, 28/02. Aguarde :)

Abs...

R.

Eduardo Medeiros disse...

Também estou aguardando a tua ilustre participação lá no meu blog (saladopensamento). Assim como você e a Paulinha deram um toque cor-de-rosa nos textos do Gresder e do Marcio, também quero esse toque lá na minha sala. Senão vou ficar com inveja desses caras....rsssss

Ana claudia Stelet Moreno da Silva disse...

Olá Regina, benção pura o texto.E como a biblia diz:Nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um eterno peso de glória. Acredito que estes processos acirrados que passamos, muitas vezes é o Senhor, cavando bases, lançando em nós fundamentos profundos e fortes alicerces. Por vezes Deus precisa transformar nosso caráter e ajustar nosso mundo interior, porém estas mudanças, estes processos geralmente são bem dolorosos. E são nessas horas que buscamos acreditar que todas as coisas cooperam para o nosso bem, pois Deus não disse que todas as coisas seriam boas, mas prometeu fazer com que todas elas contribuisse para o bem dos que o amamam, sejam elas boas ou ruins. Temos assim, sempre a oportunidade de um recomeço, sabendo que Deus nos levará a bom termo. Grande abraço e obrigada por estar de vez em quando passando em nosso espaço deixando seus valiosos comentários, bjs.

Regina Farias disse...

Oi, Ana Cláudia!

Obrigada pelas suas palavras de fé e esperança.

Então...

Às vezes a gente passa por uma situação muito drástica só para poder enxergar O FOCO. E quando o enxerga, não significa exatamente que situações drásticas deixam de existir. Eis o paradoxo! rss Só que elas existem MAS no meio de tais situações está Aquele que nos dá o suporte necessário, segundo Ele mesmo!

Beijos,

R.

Naylla disse...

Aaahh Regina,
Você é uma pessoinha que admiro!
Venho ler suas postagens quase todos os dias, as vezes penso "A Regina é meio seca" rsrs. Outras vezes penso "Como ela é sábia".
Mas cheguei a conclusão que você é uma pessoa de forte personalidade.
Espero ter um dia o seu conhecimento e o equilíbrio que você demonstra ter!

Me dá uma vontade de conhecer pessoalmente!

A propósito, você tem orkut? rsrsrs

Regina Farias disse...

Naylla

Você é uma gracinha de pessoa, sabia?

E tô aqui rindo com suas palavras...

Seguinte:

Isso de ser "seca", você é a primeira pessoa que diz sobre mim? Porque eu sou justamente o oposto: uma manteiga derretida, 99 % emotiva rss, romântica, sonhadora, apaixonada por tudo que faço, mergulhando de cabeça quando é pra fazer qualquer coisa por alguém. E ainda bem que você só pensa isso "às vezes" rss

Sábia também sei que não sou, tô vivendo e aprendendo ainda... Mas quem sabe um dia, velhinha de bengala (e Parkinson) eu acerte aqui e ali para o bem geral da nação rss

Conhecimento também não, tadinha de euzinha. Digamos que sou uma curiosa, estudiosa, pesquisadora que lê de bula de remédio a outdoor e que procura articular bem as palavras escritas pra pensarem que sou uma intelectual ah ah ah (Agora eu forcei, admito :)

Equílibrio... equilíbrio... Bem, eu não vou dizer que não tenho um bocadinho, afinal a gente leva porrada na vida é pra isso mesmo. Aprende a ser, não controlada, mas calma de verdade; a ver coisas que até assustam, mas que não nos deixam em pânico... Coisas assim.

E discordando ainda mais um pokito (pra variar rss) não é que eu tenha personalidade forte, é que eu gosto de me posicionar, entende? Eu fico pê da vida quando vejo gente em cima do muro, gente apática, morna, que não toma uma posição só pra não se queimar, ficar bem na fita, entende? Detesto esse tipo de atitude. Aliás, essa falta de atitude!

Enfim, sou uma pessoa que ama se doar sem qualquer demagogia, na mesma proporção que me incomodo pra caramba quando percebo estar sendo manipulada. Do tipo: conte sempre comigo, mas de graça! Sem condicionamento.

É como eu sou, sabia?

Na intimidade falo muita abobrinha, dou muita risada e não levo (quase) nada a sério.

E agradeço a Deus todos os dias por me ter feito enxergá-LO, moldando meu caráter sem me tolher nem me reprimir, pelo contrário, deixando-me cada vez mais lúcida justamente para que eu enxergue como é simples se VIVER LEVE!

Agora, o defeito que eu tenho você esqueceu de dizer: adoro escrever!

Beijo grande!

R.

Regina Farias disse...

Ah, outro defeito, Naylla: sou meio distraída, desligada mesmo.

Pois não é que esqueci de dizer que não tenho mais orkut?

PoiZÉ... já tive, mas cansei rss

Tinha que ler bobagens que pessoas imaturas escreviam pra se auto promover, ver fotos e recadinhos que me cheiravam a auto-afirmação, entende? Essas coisas de gente grande que estacionou lá na adolescência. E aí um dia me enchi, radicalizei e saí! :) Tá vendo que não sou assim tão sábia? rsss Mas garanto-lhe que fiquei muito mais em paz! Pois o que os olhos não vêem...

Beijo grande,

R.

Regina Farias disse...

Ops! não veem :P
Ah, essa Língua Portuguesa...
Última flor do Lácio, inculta e bela! rss

Naylla disse...

Nossa!
Mas que auto-descrição hein!rsrs
Caprichou! Se os seus leitores verem esse comentário ficarão contentes!

Quase deu uma postagem..rsrsrs

Mas se você é bem assim como falou, então querida somos bem parecidas!Principalmente no quesito manteiga derretida (inclusive minha irmã me chama assim, rsrs)
E bem que eu gostaria de ter esse defeito: adorar escrever, mas como você!

Entendo esse "lance" do orkut. Eu também tinha deletado o meu, mas fiz outro.

Sabe até quem está no orkut?
O Ricardo do Bereiano!!rsrs

Somos quase uma família já, não é Regina?

Ah, valeu pelo "gracinha de pessoa".


Beijo.