"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

'Amazing Grace'

Evangelho de João Cap.4, vs de 1 a 42



(De férias do blog rss mas, excepcionalmente, postando um texto-comentário feito no blog da minha amiga FLOR.
 
 
Flor,
Exatamente! Deus não é um negociante!

É como você mesma diz em outras palavras.
O segredo não tem segredo: é entregar tudo nas mãos de Deus e relaxar. Descansar Nele. Ser realmente dependente DELE. E isso, nenhuma religião é capaz de me dar, isso vem pela fé.

Eu entendo perfeitamente sua aflição. Assim como a de muitas outras almas sinceras também que ficam em conflito com determinações doutrinárias que fogem da proposta de Jesus. Doutrinas que estão cada vez mais distantes dos adoradores verdadeiros que Deus está à procura - como disse Jesus à mulher da Samaria.

O que acontece é que somos ensinados, desde que nascemos, a FAZER alguma coisa para agradá-LO. O pobre riquinho perguntou a Jesus: o que devo FAZER? Ele não entendeu que não há o que fazer, já está tudo feito.

Nós amamos a Jesus mas a religião nos deixa confusos, puxando-nos para FAZER sacrifícios por meio de atitudes religiosas que nada dizem do Evangelho pregado na Cruz.

Ora, Jesus diz simplesmente para seguirmos a Ele. E aponta- de diversas formas por meio de suas palavras - que seguir-LHE está na contra mão da religião que nos impõem.

O único ministério que Ele nos confiou foi o da reconciliação. Reconciliação com Ele, com nós mesmos (afinal nosso teimoso coração é um eterno campo de batalha pessoal) e, finalmente, com o próximo. Simples assim. O mais é religiosidade.

Você diz tudo em sua oração. Sim, isso aí é uma oração e Deus atende aos corações sinceros e aflitos que O buscam despidos de religiosidade. E ainda finaliza sua sincera oração, com o apelo necessário: 'quero ser totalmente dependente de Ti'! É assim que o fardo se torna leve e ficamos em paz.

Façamos pois, esse apelo diário, já que a tendência da nossa natureza (carne, como diz o clichê religioso) é sempre seguir a própria cabeça, o próprio coração, o que se 'sente'. Deus não quer nosso  'sentimento'. Nosso choro coletivo, nossa emotividade, nossa oração mecânica, canto e louvor em grupo. Não precisamos 'sentir'. Precisa-se SER, acima de tudo.

Estou passando férias nos 'esteites' e domingo fui a um culto com meu filho e minha nora, e fiquei encantada como, do início ao fim do culto, era só adoração. Não havia proselitismo, indução, manipulação velada, terrorismo, doutrinação, coisas estas tão abomináveis ao Senhor! Aliás, se houvesse, nem ele iria! Muito menos me levaria consigo! Graças a Deus ele tem a mesma lucidez que a minha. Inclusive, esta foi a segunda vez que fomos. A primeira, foi antes do Ano Novo. Esta segunda, foi mais cerimoniosa pois era a Ceia do ano. (Nem é necessário dizer que já fui meio pé atrás em relação a isso rss)
 
E eu, que sou meio avessa a cerimonialismos religiosos, me surpreendi comigo mesma ao ficar encantada pela segunda vez em ver a simplicidade daquelas pessoas que ali estavam (não para exibir performances religiosas estereotipadas, mas cada um na sua própria forma de se apresentar), para se render a Deus, para adorar, para derramar os corações.
 
E chorar, não por sentimentalismos, medos, inseguranças, mas em agradecimento por sentir uma imensa paz que não nos foi imposta, foi dada de graça pela misericórdia de um Pai que simplesmente ama. Chorar por se constranger diante da constante surpresa em se ver dependente, impotente, vulnerável e totalmente entregue Àquele que só quer ser Senhor dos nossos corações.
 
Pelo nosso próprio bem e não por uma birrinha divina de quem se acha todo poderoso.

E perdão se me empolguei e me estendi. ('Normal' rsss)

Deus te abençõe!
Rê.

4 comentários:

Anônimo disse...

maravilhoso,as pessoas devem aprender a ouvir a voz de jesus,não oque massageia o própio ego,ser discipulas de cristo,nosso senhor e não escravas de denominações ,não confiar no que se possui,nem em suas experiencias ,nem em suas emoções,mas em jesus,em sua força,em sua manifestação em nós,em nossa vi da em todos os sentidos,amém,am
ém.Roberth tietze,cianorte-paranáti

Marcelo Medeiros disse...

REgina, Sou eu Marcelo (do extinto papo de teólogo), como vc está? Também estou de blog, veja: http://blogdoprmedeiros.blogspot.com.br/2013/01/existe-salvacao-para-nossa-musica.html

Regina Farias disse...

Roberto
Valeu pelo comentário!
Escravo de denominação age pela crença e não pela fé. Por isso que geralmente é na base do medo e da insegurança.

E desculpe a demora,mas não tenho acssado tanto internet esses dias. E quando o faço não comento, fico mais lendo os textos.

Abs...

Regina Farias disse...

Oiioiiiiiiii Marcelo,
Que prazer reencontrar voce!
Tb me alegra demais ler um blog seu. Afinal, eu gosto muito do seu ponto de vista.
Vou lá agora mesmo!
Um abração!!!
R.