"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

quarta-feira, 16 de março de 2011

Edificação & Exibicionismo



(Resposta ao Michel França em comentário no texto SER IGREJA - IGREJA SER)

Caro Michel

Não se preocupe, pois comentário contrário ao meu não me constrange, afinal não tenho mais doze anos de idade.

Não me constrange, mas não concordo em nada do que você diz em relação ao “falar em línguas estranhas”. Não por mera discordância, mas pela coerência que me é concedida pela simplicidade do Evangelho.

Primeiro:

É claro que somos falhos, cometemos erros e vivemos da misericórdia de um Pai que conhece a natureza humana.

O meu questionamento sobre a reação da mulher foi que em um momento ela fazia uma oração de certa maneira e, ao findar aquele momento “mágico”, ela se mostrava completamente diferente. O que eu entendo por vida cristã tem a ver com vida prática e não com um momento mágico e fugaz. É dia a dia, é batente, é cotidiano. Isso é exercício de vida “no espírito”. De que me adianta falar línguas estranhas se não trago para a prática o mandamento principal que é buscar viver em harmonia com o próximo? (No caso, aquela colega de trabalho lá citada) Isso é coerente? Vida com Jesus é, acima de tudo, vida COERENTE.

Você diz que ao falarmos em línguas, falamos “no espírito”, claro, óbvio, até aí tudo bem, mas quando Deus diz que procura novos adoradores que o adorem em espírito e em verdade, ele deixa claro que não quer um adorador alienado que diz uma coisa nos lábios e que no coração diz/faz outra. Tem que ser “em espírito e EM VERDADE. E, a Verdade é a nova vida que experimentamos “em Cristo”, abrindo mão da nossa soberba, do nosso orgulho, do nosso “eu”. Como você bem diz, tendo paciência. Se aquela mulher que falava línguas estranhas pra dizer que tinha uma relação especial com Deus, tivesse paciência com a colega de trabalho e não esbravejasse o que falou, ela demonstraria muito mais essa intimidade que ela quer demonstrar - IMPRESSIONAR - por meio de línguas estranhas.

Sem falar o que Paulo alertou sobre línguas estranhas a um povo que supervalorizava esse hábito em detrimento do dom maior: O AMOR.

“... prefiro falar cinco palavras com meu entendimento, para INSTRUIR outros, a falar dez mil palavras em outra língua”. (ver em 1Co14.19)

“No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou três, e isso sucessivamente, E HAJA QUEM INTERPRETE. Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus”. (cf 1Co 14:27.28)

Ora, se a congregação não entende absolutamente nada do que está sendo dito “em espírito”, qual a UTILIDADE então? Só posso crer que para EXIBICIONISMO. Isso sim é que é falar “pela carne”. Veja você a contradição! Pois, para mim, falar “pelo espírito” é falar coisas que deem ânimo, que nos console, que sirva de bálsamo, que nos encha o coração de esperança de alegria, de paz. É assim que entendo o Evangelho, é assim que procuro trazer o Evangelho para a minha vida de pecadora que se sabe falha mas que não busca impressionar com frases de efeito meia hora no dia e que no resto do dia não sabe como aplicar os ensinamentos de Jesus para que se tenha uma vida saudável, um relacionamento harmonioso com o próximo. Sim, pois Evangelho é isso, é aprendizagem, é processo pra vida inteira, de glória em glória.


E, minha atenção para isso, a ponto de ocupar uns minutinhos em te responder reside no fato de que eu tenho PAVOR de performances, daí a minha ênfase para isso. Não deixo de amar a irmãzinha em questão, deixo de amar - aliás, abomino - atitudes como essa. Quem estava com o coração cheio de ódio ao se expressar era ela, não eu. O que eu fiz – e que infelizmente percebo que você não entendeu - foi justamente colocar esse exemplo, para mostrar a contradição entre o que ela dizia da boca pra fora, com o que havia, de fato, em sua alma.

Inclusive, diga-se de passagem, não se tem registro de que Jesus saiu por aí impressionando as pessoas com “outras línguas” nem quando do seu batismo que você cita, nem durante o seu ministério. E olhe que Ele tinha pano pras mangas pra impressionar multidões...

Afinal, bora combinar. Adoração coletiva é para edificação coletiva. E não, exibicionismo e alienação.

É isso que entendo de Evangelho.

Isso - pra mim - é SER IGREJA.

RF

11 comentários:

Conexão da Graça disse...

Rê, fiquei com vontade de falar em línguas esquisitas depois de ler sua resposta, posso?rsrsrs.Aí vão elas...cantalanassiria...ritamemnarabia...ripalanuscarananacachola...rsrsrs.Fala sério mana, pra essa gente selo de autenticação penteca é "chupachitabalahalls", faça-me o favor!É um mantra tântrificado para as neuroses gospel.Tô contigo e não abro.Espiritualidade se evidencia no chão da vida, na resposta que eu dou ao meu cotiano através da graça do Evangelho revelada em mim pra ser um ser humano melhor, e não pra viver de "chá de lírio evangélico".Tô tendo agora uma revelação de um cântico espiritual que o sinhõ me deu pra finalizar essa profetirada, cantemos todos juntos:"Olha, sem noção, Meu irmão!...".Piiiiiiiiiiii no resto da letra.KKKKKKKKKK.Desculpe o sarcasmo, mas não deu pra resistir rs.Valeu, um abraço, Franklin.

René disse...

Que coisa, Rê!!!! Fui lá no texto original e pesquei esta pérola no comentário da pessoa, que originou esta sua resposta: "Existem muitas pessoas que tem o Espírito Santo de Deus e não falam em Línguas por que não procuram ter um relacionamento com Deus".

Fiz isto, minha amiga, porque não tinha entendido o porquê de você ter que esclarecer mais ainda algo que já está super-claro na Palavra! Então, entendi que você se dirige a uma pessoa que lê a Palavra, conforme a orientação de homens que não têm o Espírito. Sim, porque a asneira que ele falou não tem nem um traço de revelação do Espírito Santo e da Palavra de Deus.

Excelente aula, Rê, e, infelizmente, necessária ainda!!!

Bjs e Paz!

Ricardo Mamedes disse...

Regina,

Concordo em gênero, número e grau com o seu texto! Aliás, que excelente texto!

Com relação ao que creio e como creio no que se refere a "dons miraculosos", dentre eles o "falar em outras línguas", não se assemelha a como crê a maioria dos pentecostais. Aliás, nessa matéria, nos alinhamos até nas vírgulas, considerando-se este ótimo texto.

Não fui ao comentário que deu origem ao texto, mas posso imaginar o seu teor...

Abraços!

Ricardo.

Casal 20 disse...

Regina, ainda bem que a língua que falamos entre nós não nos é estranha, embora seja a tantos outros (rsrsrs). Estou contigo, minha irmã!

Rê, parabéns.

Abraços sempre afetuosos.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Rê, fico admirado de ver o amor que tu tens, eu não gasto mais um segundo com quem acha que é convertido, mas nunca leu a Palavra e se leu não entendeu. Cansei. Ótima resposta, simples, bíblica e principalmente verdadeiramente Evangélica, da qualidade do Evangelho e de acordo com ele. Bjus

Wendel Bernardes disse...

SRSRrssrrssr

Franklin, que isso? Tá querendo roubar minha patente eclesiástica?
Sai fora workaholic!!!!

Concordo tanto com seu post como com os comentários acima, dos quais destaco a frase inteligente do Casal 20:
"Ainda bem que a língua que falamos entre nós não nos é estranha"...

Essa é a linguagem da Graça!
Como disse o Apóstolo René,
Excelente aula, Rê, e, infelizmente, necessária ainda!!!

Beijão a todos e todas!
SRRSSRSRSRSRSR

Regina Farias disse...

Franklin:

Cá pra nós, esse negócio com "halls" pelo meio tá me cheirando a propaganda indireta, aquele lance de mensagem subliminar e tal... Tá amarrado!

E para o finalzinho do cântico espiritual que vc sugere ainda bem que tem o piiiiiiii (ufa! rss)



René,

Quando eu me converti, tinha uma faxineira que era da CCB e ela viu admirada o agir de Deus na minha vida "dicunforça" e mesmo assim ela saiu com a pérola: "você fala em línguas"? Quase me fiz de desentendida e respondia que no século passado havia estudado inglês, francês, espanhol e alemão, mas com o tempo (e a idade rss)fui esquecendo...Ainda arranho aqui e ali mas nada que me garanta passagem pro céu rss

Mas não deu outra: eu peguei minha bíblia (o LPA- como diz ironicamente o tesoureiro/ proprietário da IBL- o Jotacê) e saí lendo pra ela, tudo o que, erroneamente, muitos deles lá chamam de "selado".Sim, pois "o falar em línguas" é a principal garantia de vida eterna para muitos da CCB. Digo porque foi um dos absurdos que mais presenciei durante anos. E ainda presencio. Lamentavelmente.



Ricardo,

Que alegria tê-lo aqui depois de tanto tempo! Você é um daqueles que mesmo afastado a gente sabe que é colaborador nessa caminhada blogueira :) Aliás, tenho lido teus textos mas sem comentar, afinal percebi que se referiam a questionamentos específicos. E, diga-se de passagem, é sempre bom ler suas considerações, principalmente de camarote rss



Fábio e Lu,

Não foi à toa que Paulo saiu botando ordem na bagunça. Pelo menos para falarem a mesma língua entre eles mesmos...
E, como falei outro dia com a Dri, admiro quem diz em poucas linhas algo tão simples de entender, assim como vc fez agora.


Cláudio,

Até que tenho certa paciência. Mas nem tanto... Se for algo repetitivo, chato e recheado de ironia "nada a ver" que se estende por dias, semanas, meses rsss eu jogo a toalha. Ce sabe, né?


ILE W.

Esse texto arranjou serviço pra vc, tá vendo só?!

Lembre-se que você é o intérprete, não reprima seu irmão, deixa fluir o dom do Franklin rss

Faça jus aos seus proventos (proventos é novo rsss)


Enfim,

Que linguagem maravilhosa essa do AMOR que - mesmo com as clássicas alfinetadas rss - transpõe qualquer equívoco e ainda gera boas risadas.

Como diz o nosso intérprete oficial de linguas estranhas, essa é a linguagem da Graça. E de graça!

O&A a todos. Seja em que língua for...

p.s.: O&A nada tem a ver com OEA. O= ósculos; A= amplexos (invenção dos líderes da IBL = Igreja Bora Ler)

João Carlos disse...

Oi bispita!!!!

O Franklin matou a pau no comentário, afff! ri pra caramba!

Engraçado que eu escrevi um texto hoje sobre eu me sentir limitado sendo pentecostal dentro de uma igreja não pentecostal mas não pelo fato de gostar de reteté: Pelo contrário! O que fez eu me afastar de muitas igrejas pentecostais (principalmente NEO) e enveredar pelos caminhos de igrejas históricas foi exatamente este exagero, esta falta de ordem e decência que cansei de ver ser feito innomidigizûs.

Sou pentecostal e já orei muito em línguas em igrejas onde isso era sinônimo de "status" espiritual. Aos poucos isso começou a ser algo sem sentido e passei a me controlar quando não "cabia".

Sabe o que aconteceu? Em vez de me esfriar isso acabou gerando um "próximo passo"! Ao falar com alguém, "sob as mesmas condições", passei a falar na minha língua portuguesa, de forma clara, mas ciente que naquele momento o que eu estava falando e vinha à minha MENTE provinha de Deus e era específico para aquela pessoa!

Deixa eu viajar um pouco: Por que uma das "línguas estranhas" não pode ser a nossa própria língua? Qual o referencial para dizer que a língua é estranha? Português é estranho pro chinês e vice-versa!

Na nossa língua podemos falar os mistérios de Deus para todos aqueles que precisam ouvir o que ELE tem a dizer para uma determinada situação. Isso já aconteceu tantas vezes comigo!

Já a Cilene é um caso raro de alguém que quando ora em línguas estranhas trás juntamente a interpretação. É um barato! Ela vem com esta "tecla sap"!!!!

Deus já falou muito comigo através dela, nestas condições.

Nunca me esqueço do dia que, após termos tomado uma deliciosa garrafa de vinho (acho que um chileno), estávamos andando na praia, mais de uma da manhã, cantando louvores que íamos lembrando e chorando quando de repente lá vem ela com aqueles olhinhos azuis me encarando e dizendo que tinha uma palavra específica de Deus para algo que estava para acontecer.

Me ajoelhei na areia e tome profecia! Ela orava em línguas e traduzia o que Deus estava falando por intermédio dela. Na segunda feira seguinte, TUDO O QUE ELA FALOU ACONTECEU EM MEU TRABALHO.

Isso eu creio, desta forma eu creio! Não creio no show de horrores gospel que vemos por aí, escandalizando o nome de Jesus, feito por aqueles que supostamente estão achando que o adoram.

Bem, deixa eu parar, tá virando um post.

(Chupachitabalahalls é demais... de onde ele tirou isso gente?)

Reverentes ósculos santos!

(uiii!)

JC

Wendel Bernardes disse...

João,
vou te falar meu pastor, se você não tivesse sido criado por Deus, Ele te criaria só pra lermos essas coisas ótimas, viu?

rsrsrssrsrsrsrs

Agora deixa quieto que as palavras sinistras, ocultas e estranhas do Franklin são mistéééééérios!

Labasúbias!

Adriana disse...

Uma bispada de alta catagoria.

O&A elevados a nona potência

Wendel Bernardes disse...

Bispada é forte... só a Drí mesmo!