"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Médico de homens e de almas






Lucas - o médico gentio - amigo e companheiro de Paulo em suas viagens, foi o autor de Atos. Ele fez os seus registros com riqueza de detalhes sobre os lugares por onde passaram, sendo testemunha ocular da propagação do Evangelho.

Dos apóstolos, ele foi o único não judeu. E, assim como Paulo, ele também não conheceu a Jesus pessoalmente. Tudo que ele escreveu foi adquirido através de pesquisas, ouvindo testemunhas, os discípulos e os apóstolos. Sua primeira visita a Israel teve lugar quase um ano depois da Crucificação. 

Sua amizade com Paulo caracterizava-se pela forte identificação em relação à amplitude do sacrifício da Cruz. Isso os aproximava mais, porque ambos pregavam a salvação para gregos e gentios. Em contrapartida, ambos tiveram muita dificuldade com os primeiros apóstolos, porque estes afirmavam que Jesus tinha vindo apenas para os judeus.

Se observarmos atentamente suas características literárias, vemos o evidente estilo narrativo que apontam o Livro de Lucas e o Livro de Atos a serem lidos como uma composição única. Um registro cuidadoso de acontecimentos históricos muito bem elaborados, no qual ele demonstra um profundo conhecimento da literatura e idiomas gregos.

Como historiador, ele pesquisou os acontecimentos para oferecer um relato confiável aos seus leitores, de maneira que estes se informassem sobre o que ele mesmo havia aprendido sobre a fé cristã de forma bastante lúcida e por meio de uma vida prática. E, principalmente, com o desejo de que seu público tivesse também uma vida cristã sólida e dedicada. 

Não era nada fácil apresentar outro estilo de vida, dentro daqueles engessados moldes, dentro daquele contexto pagão, cheio de vícios, rituais e estranhos costumes religiosos. Seus escritos demonstram sua dedicação àquele ministério, onde ia sendo desenvolvida uma teologia na qual os primeiros judeus cristãos se tornaram um povo de Deus mais inclusivo, ao acrescentar gentios cristãos à Igreja que ia se formando. Sem esquecer seu propósito em deixar bastante claro para as autoridades que aquele 'movimento' que ora se formava, não se constituía em nenhuma ameaça política. 

Iniciava-se, então, a Igreja Primitiva. Sem placa e sem o espaço físico específico de adoração, marcas muito comuns tanto no mundo pagão como na cultura judaica.

Dois amigos, ambos impetuosos, preparados intelectualmente e comungando a mesma verdade. Protagonizando as mais diversas situações em que pessoas de todos os credos e classes sociais precisavam conhecer a verdade e, os que já conheciam,  de encorajamento na fé. 

Em Atenas, diante dos grandes filósofos gregos que chamaram Paulo de ‘tagarela’, ele não se intimidou e disse, em meio ao seu discurso: 

‘Deus não habita mais em santuários feitos por mãos humanas’  

Frase contundente e ousada para a época e que até aos dias de hoje, muitos religiosos - tendo estudo ou sendo simples – não conseguem entender e insistem em querer aprisionar Deus dentro de suas quatro paredes doutrinárias.

Lucas, o evangelista mais preparado intelectualmente, deixa bastante claro por meio de suas narrativas, que a mais importante manifestação do Espírito Santo na vida do cristão é que ele será testemunha da vida de Jesus e dos Seus mandamentos.

Na vida prática. E não, dentro de determinados padrões religiosos.

RF.


Obs.: 'Médico de homens e de almas' é o título de uma excelente obra de autoria da romancista Taylor Caldwell, que trata da extraordinária vida de Lucas.


7 comentários:

MARIA DO SOCORRO FLORENTINO florentino disse...

Este livro deveria ser lido por todo cristão,pois felizes serão aqueles que O amaram sem tê-lo visto.

Regina Farias disse...

Então, Socorro...
Inclusive muito religioso de carteirinha ia ver o apóstolo como gente igualzinha a nós :)
Beijos!

Likka disse...

Aprendendo mais um pouquinho Rê(ó a intimidade rsss)
Não sabia de muitas coisas descritas neste texto!
valeu sister!
abraço!

Regina Farias disse...

Likka,

Saiba que também aprendo cada vez mais quando escrevo. É uma aprendizagem que beneficia não apenas o intelecto, mas que funciona como uma terapia de modo geral.

Ah,e eu gosto dessa intimidade rss

Bjsssssssssss

Filipe Ivo disse...

Graça e paz, Regina. Deixo aqui registrado minha visita ao seu blog. Estou interessado pelo post que você escreveu sobre a vida do médico amado que é Lucas. Gostaria perguntar na sua opinião qual era o propósito de Lucas escrever o Evangelho?

Filipe Ivo disse...

Graça e paz, Regina. Deixo aqui registrado minha visita ao seu blog. Estou interessado pelo post que você escreveu sobre a vida do médico amado que é Lucas. Gostaria perguntar na sua opinião qual era o propósito de Lucas escrever o Evangelho?

Filipe Ivo disse...

Graça e paz, Regina.
Gostei do seu post e deixo aqui meu registro de visita. Mas uma sugestão a ser colocada a seu post é o propósito de Lucas escrever da forma que escreveu à quem escreveu e qual objetivos que Lucas queria alcança com esse escritos.
Boa tarde!
Filipe Ivo