"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

sábado, 9 de abril de 2011

Religioso ou discípulo de Jesus?



"O Evangelho só está crescendo se está dando fruto na vida de alguém. Se não gerar conversão genuína, misericórdia, graça, um novo caminho, só tem templo cheio".

Pesquei lá no SUSTO DE AMOR

8 comentários:

Adriana disse...

Bispa,

Eu fiz um comentário no Claudião
mas algo aconteceu que não consegui realizar a operação, como não salvei, dancei.

Com estamos em casa, coloco aqui o que penso.

Nesta semana em uma reunião eu falei sobre esta condição da igreja clube que se presta a funcionar como medida socioeducativa para marmanjo que quer comprar Deus, tipo uma febem/fundação casa que corrige moralmente seus filhinhos.

Homens e mulheres cheios de pulsões que buscam desesperadamente se enquadrar no esquema, adquirindo aquela carinha limpinha, medindo os demais por esta regua perversa da moralidade vazia.

Já notou como a mocinha parida e criada na igreja quando desvia numa atitude de rebeldia virá puta? Não é regra, mas acontece.

Mulheres doidinhas para trair o marido mas que não o fazem pois se consideram convertidas, homens loucos para dar um pega na ervinha do diabo mas que não o fazem por medo do que o pastô disse a respeito do inferno.

Eu não vejo com frequência igrejas que deêm atenção a estes desesperos da alma.
A batista da Agua branca do Ed Rene tem um trabalho especifico sobre o questão.

Um dia a pulsão fala mais forte e tudo que estava no imaginário se realiza, o deus criado pelo clube deixa de ter força e o clube em si perde a cor.Nunca houve conversão, apenas repressão.

Bom é estar na igreja sem precisar dela como força acachapante que modela meus comportamentos feito ratinho de laboratório.

Bom é estar convertido e ainda conseguir frequentar uma igreja.
Conheço alguns.

Bom estar na igreja sem precisar ser ungida pela boa aceitação daqueles que determinam o que é limpinho ou sujo.

Concordo com seu comentário feito no Claudião, pagãos ficam irritadíssimos com os desigrejados, pois incomoda nega, incomoda pacas.

Vou te dar um dica de graça rsrsrs: quem defende demais uma posição, em geral está segurando algo dentro de si, capitou?

Portanto entendo que a igreja clube não precisa de defensores pois ela fará sentido para muitos, o homem é naturalmente narcisista (uns muito mais que outros, alguns são doentes), então o homem sempre procurará plateia que o aplauda em suas convicções mesmo que deturpadas

Termino dizendo que condordo 100% com o Caio, meus filhos recebem de mim tudo que diz respeito ao Evangelho, não permito que ninguém venha doutriná-los em nada.


Reverência a sua postura equilibradanos ocmentários e na vida.


beijocas

Regina Farias disse...

Sacerdotisa Dri (me vingo com o "bispa" he he)

Menina, que bom vc ter dançado lá no Susto do Amor do amado Cláudio. Quem ganhou fui euzinha com seu brilhante comentário :)

E eu não sei se você se referiu ao fato de estar em sua casa e assim ter mais tempo livre pra escrever aqui ou se "está em casa" por ter todo direito de dizer o que quiser no meu blog rss Em todo caso, manda ver! Aliás, Você definiu muito bem o que o vício religioso transforma em "falsa piedade".

Eu já ouvi falar desse trabalho lá da Água Branca do Ed René, excelente. Gosto muito dele, desde quando li "Vivendo com Propósitos" aliás, um dos livros que trago aqui próximo de minha cabeceira. (Comprei pra minha mãe, mas depois que ela leu, afanei pra mim, abafa rss)

Vc falou na erva, mas esse tipo de comportamento que vc cita é também uma droga violenta que vicia a alma, já que é campo aberto pra uma coisa desprezível chamada hipocrisia.

Mas sabe o que eu acho mais estranho? É que pessoas muito presas à adoração igrejista ficam fazendo suas especulações sobre o que achamos de suas igrejas, como se levantássemos bandeiras contra as denominações, sentindo-se até ameaçadas. O pavor de que alguém ouse tirar-lhes o chão é tão grande, que não percebem que muitos que questionam, pensam, discordam, não são necessariamente gente "desigrejada" mas gente de dentro da igreja que está vendo essa doença na alma das irmãzinhas e irmãozinhos igrejados. O apego doentio, a idolatria, a patologia, enfim, está é na alma, o espaço físico em si não traz nem bem nem mal. Ou seja, o problema não é a igreja, o templo, o local de reunião, o espaço físico onde se cultua a Deus. Quando Deus clama por meio do profeta Jeremias lá no cap 7, por exemplo, Ele não está condenando o templo, o alerta é para as ações, a prática do cotidiano, o comportamento das pessoas, em séria alusão ao fato de que apenas arrependimento e justiça traz libertação e não rituais igrejistas.

Sabe o que eu acho? Que o igrejado que começa a enxergar esse mal está no caminho do amadurecimento. E que o igrejado que resiste em não querer enxergar o óbvio que lhe salta aos olhos, é porque preferiu se acomodar e ESCOLHEU não dar o primeiro passo para o amadurecimento na fé. Aí fica aquela meninice de gente adulta (na faixa etária rss) com tietagem e deslumbramento adolescente em volta de líderes e ministérios. E quanto mais a droga da tietagem e do deslumbramento, mais cegueira e alienação. É assim que eu vejo.

Valeu pelos acréscimos!

O&A :)

Adriana disse...

Explico.

Minha casa é o lugar no tempo e espaço onde posso dizer "puta" sem incomodar a audiência e onde posso falar minhas heresias, ser contrariada mas sem me sentir tolhida pelos que estrilam quando se mexe em suas "marias" e clubes.

Sim, sou a favor da liberdade expressão, entendo que cada um tem o direito de falar e reagir conforme suas convicções sejam elas nefastas ou não, mas não é todo o dia que estou afim de ouvir ou estar no mesmo espaço que um Bolsonaro, falando suas baboseiras facistinhas. Confesso pra você que ultimante não gasto um segundo com os tais, estou sem figado.Eu também tenho direito de escolhar ou não?

Sobre seu estranhamento, digo que também é o meu.
Fico pensando se tais (alguns)lugares chamados de igreja não são cercas de segurança onde todo o tipo de doença da alma passa desapercebido desde que eu siga as regras e seja devota de alguma liderança.

O que acaba acontecendo é que certas doenças como o narcisismo são alimentadas e insufladas neste convivio onde o parecer santo é o que importa.

Sou então bem aceita e querida por todos e fico cada vez mais certa de que aquele lugar é a meca/jerusalém do meu ego.

Perigo.

Aí minha nega, eu vejo Jesus sarando a alma e corpo, fazendo o serviço completo, sem aliviar pra nada e para ninguém. Veja lá Nicodemos, o jovem rico e a samaritana, foram confrontados em suas certezas.

A igreja pode se tornar o lugar para que se esconder de si mesmo. Universo paralelo onde o ego se agiganta.

Em Jesus, no evangelho, a desconstrução egoíca é fatal,acontece.

enfim, é isso bispa.

estou sentada no sofá, bem confortável, tomando meu suco de tamarindo e conversando com quem tem muito a acrescentar a minha história, é assim que me sinto agora.

bjs

René disse...

Rê,

Se eu tivesse visto este vídeo antes, talvez ficasse constrangido em publicar o texto que publiquei hoje. É interessante como esse assunto tem se tornado recorrente! Acho que é por se tratar de vida, e vida eterna!

Mas vou ser sincero: podia apagar esse vídeo da postagem e colocar os comentários que a Dri e você fizeram!!! Se não esgotaram o assunto, chegaram muito próximo disto!

Forte abraço e Paz!

CARLOS HERRERA disse...

Olá Re

Já faz algum tempo que vi este vídeo.

"As igrejas ganham adeptos para si e não seguidores para Jesus"

Conheço algumas igrejas que ainda não sucumbiram a essa máxima...

No entanto, sei que estas comunidades não regras mas são exceções..

O grande problema é quando a igreja se torna uma fabrica de religiosos!
Mas, percebo que Deus tem levantado uma geração que está paulatinamente despertando para uma nova realidade de comprometimento com Deus, rendendo-se ao Senhor sem surtos alienados e farisaicos!

abraços

Regina Farias disse...

Meus amados,

Muito me conforta o coração e agradeço muito pelas palavras de vida eterna colocadas aqui, pois que estou certa estar em vocês o Espírito de Deus!

É disso que venho falando faz muito tempo, muito antes de existir blog. Simplesmente porque é algo instigante, angustiante, algo que me aperta o peito e me faz clamar.

Paralelo a isso, vivo tão em paz em cada pedacinho do meu ser, mesmo em meio ao caos e apesar das tristezas. E só não estranho essa paz instalada em meu peito porque já conheço o Seu Autor.

Aleluia!

Que Deus continue usando mais e mais pessoas para que possamos ser cada vez maior o número de adoradores em espírito e em verdade que Ele procura.

Glórias pois, a Ele, eternamente!

Altamirando Macedo disse...

Regina Farias,

Por falta de tempo não lhe retribuí a visita, embora tardiamente, peço mil desculpas.
Andei navegando em suas postagens e gostei bastante do que li sem me surpreender. Muito centrada e segura de sí. Parabéns!

Regina Farias disse...

Altamirando,

Fique bem à vontade e relaxe he he pois já sou bem crescidinha e não vou ficar melindrosa por visita tardia ou até falta de visita ao meu blog. E muito menos por alguma eventual discordância. Afinal, temos nossos compromissos, além de nossos próprios pontos de vista, nosso próprio estilo literário e nem sempre convém aparecer pra dar um pitaco, só pra dizer que marcou presença rss

É assim que acontece comigo, nada pessoal.

O bom - e agradável - é que, apesar da demora, vc se agradou do que viu e isso me basta. Afinal, é pra isso que escrevemos, para nos dar suporte uns aos outros...

Só tem um detalhe: centrada e segura sempre, mas Naquele que está no controle de tudo. :)

No mais, achei teu blog bem interessante, porque enfim, gosto de ler de tudo. E ainda que tico e teco não alcancem rss faço as mais variadas leituras, desde que sejam inteligentes.

Seja sempre bem vindo!

Meu carinho,

Rê.