"NÃO EXISTE NENHUM LUGAR DE CULTO FORA DO AMOR AO PRÓXIMO"

Translate

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Eu, por mim mesma ;)




Creio que a minha visão difere da de muitos (até escandalizando os mais convictos), talvez porque eu não carregue em mim os ensinamentos fundamentalistas como a grande maioria que aqui lê e comenta. Não gostaria de ser rotulada (novamente rss) de relativista, aliás, detesto rótulo. Seja qual rótulo for, como alguns aqui já sabem. Porque discrimina e distancia a pessoa do amor e da compaixão, aproximando muito mais de sentimentos negativos, como a antipatia e a rejeição gratuitas. E, se tem uma coisa que não sou e que não serei jamais é ascética e/ou repressora. Menos ainda uma personificação da perfeição moral e intelectual. Passo looonge rss

A verdade é que eu sempre fugi de normas estabelecidas por uma igreja e um líder espiritual, procurando ler a bíblia sem me agarrar a um dogma, uma doutrina religiosa, uma obrigação neurótica a cumprir de maneira inflexível e rigorosa. Leio a bíblia sem os pesos denominacionais, com sede de Deus, mas sem consultas 'místicas'; com senso crítico e analisando sempre os aspectos culturais e históricos. Por exemplo, João tinha mais afinidade com Jesus, de repente por serem da mesma idade, já Pedro tinha sérias dificuldades  para absorver o que Jesus dizia, considerando a cultura religiosa nele mais arraigada devido à sua idade. Vejam bem, tempo não é uma regra rígida. Aliás, tô fora de rigidez! Trata-se apenas de uma observação curiosa e específica justamente de quem não se permite ficar presa a algo fixo e determinado por uma doutrina religiosa. 

Vejo ainda que cada um dos 4 evangelistas tem a sua particularidade, inclusive na forma literária, pois afinal, há de se colocar algo de si no que se escreve. Tanto é, que cada um deles tem o seu estilo próprio, sempre ligado à forma pessoal de ver e, consequentemente, de se expressar, ainda que não se perca o sentido do que é narrado. Entretanto, não é à toa que o livro de João é considerado o mais evangelístico de todos. E o que eu mais gosto também rss Aliás, diga-se de passagem, escrito para os judeus que, abandonando suas práticas religiosas, eram expulsos e discriminados por confessarem a Jesus como o Cristo. O irônico é que, ainda nos dias de hoje, existem os judaizantes (carregam outros nomes, mas as práticas são idênticas!), que também rogam a Deus em nome de Jesus e que fazem exatamente o mesmo que os antigos judeus: criticando, perseguindo, e, quando não expulsando, colocando num 'limbo' terrestre de purificação. 

Por fim, leio a bíblia sem a pretensão de querer me aprofundar e ir buscar significâncias e derivações semânticas, embora não as despreze por completo. Ou seja: nem supervalorizo tampouco anulo. O fiel da balança, para mim, é que não seja empecilho para o exercício do amor. Aliás, desisti do estudo acadêmico da Teologia justamente por não me atrair certos 'detalhes' vaidosos, considerando-os assim, insignificantes, vãos e desnecessários para uma vida prática em Cristo. E cada vez mais eu me convenço disso, basta ler um ou outro 'doutor' no assunto. Procuro ler de tudo, mas sem qualquer pretensão, e sempre a partir de Jesus, onde nossa vida deve dar testemunho pessoal da graça redentora e transformadora de Deus. Daí não ser jamais a partir de uma 'transformação' formatada por uma denominação religiosa. Foi para a liberdade que Cristo nos libertou, e não, para uma prisão religiosa. E o que limita essa liberdade é o amor. E não a norma religiosa. Essa é a grande questão, pois, ou se segue a Cristo ou à Lei. Para mim, isso é o que distingue o capricho legalista da denominação, de uma vida de bem que nos livra das 'crentices' e nos proporciona uma compreensão ampla de buscar viver o Reino de Deus aqui na Terra. Como nos ensina Jesus na oração. 

Aliás, as parábolas usadas por Jesus nos livros de Mateus, Marcos, Lucas e João nos dão essa compreensão ampla, mas creio que apenas quando estamos libertos dos vícios religiosos, dos clichês e dos cerimonialismos como regra de vida cristã. Pois penso que de nada me serve saber de Jesus como força e poder se não sei que Ele é o Emanuel, Deus conosco.

Por enquanto é só... 

Quis abrir minha alma mesmo ciente acerca dos 'entusiastas' de plantão que adoram dissecar a nossa alma ;)

TEXTOS RELACIONADOS:




9 comentários:

HP disse...

Regina,

Posso dizer que este teu texto foi formidável.

Sem “rasgação” de seda, mas confesso que seria muito bom se houvesse mais pessoas assim dentro da igreja. E voltando no assunto anterior de títulos etc, “cooperadoras” do Evangelho assim, infelizmente estão em falta.

Louvo a Deus por tua vida, por plantar a semente do Evangelho por onde passa, seja na vida física ou na virtual. Levando as boas novas para quem ainda vive sob o fardo pesado da Lei-Doutrina em muitas “igrejas” Evangélicas por aí, que de Igreja nada tem e de Evangélica muito menos.

Oro para que Deus continue te usando assim e que mais “Reginas” sejam levantadas no meio da Igreja de Cristo.

Disse tudo isto para que APENAS o nome de Deus seja exaltado. E tenho a certeza que você compreendeu isto e que cada vez que um suposto elogio foi tecido, tua alma dava Glórias a Deus, reconhecendo que estas virtudes do Espírito Santo é ELE que instala em ti e não você que as possui.

Glórias e glórias ao Altíssimo por restaurar vidas, transformando-as pelo poder do Evangelho, para cumprirem o “Ide”, sendo Igreja no mundo. Não prédios, instituições e estatutos que cada vez menos servem para o Reino de Cristo.

Um abraço sister.

Bom final de semana.
Do teu mano Henrique

Regina Farias disse...

Como sempre digo: não faço mais que a minha obrigação, como diria outro cooperador no Evangelho. Assim como tenho plena consciência de que nada sou e tão pouco ou quase nada faço...

Toda honra e toda a glória somente a Deus! - Que essa afirmativa saia do mero clichê, urgente!

Erica Serpa disse...

Eu li, e reli, e li novamente a sua postagem, Regina. Porque preciso aprender bastante sobre a humildade e o amor.

Foi uma bela abertura da sua alma.

Concordo, se não em tudo, com uma grande parte do seu relato.

Queria que houvessem mais irmãos assim, que se preocupassem com a graça maravilhosa, e menos com as doutrinas honrosas das denominações.

E, se possível, gostaria do seu email, para conversarmos mais. haha

Um abraço!

Regina Farias disse...

Erica, mesmo sem te conhecer já te admiro porque você, mesmo não concordando 'em tudo', ainda quer trocar ideias. Porque, uma das características do inflexível fundamentalistas é não querer papo com quem pensa diferente rss

Acho bacana tb vc querer aprender mais sobre amor e humildade porque essa é 'a ideia'. Um processo inacabado e, portanto, pra vida inteirinha. 'Tamujunto' rsss

Tenho receio de colocar meu email aqui e prefiro colocar 'inbox' no facebook, vc tem? Se sim, me add lá com o nome Regina Farias. Será um enorme prazer!

Abs,

R.

Mario disse...

É isso que falta na igreja de hoje, as pessoas se mostrarem como realmente são, falarem sem medo de que a sinceridade revele a sua natureza errante e a dependência da misericórdia e amor de Deus para que continue suportando nossas fraquezas.

Regina Farias disse...

Mário,

Então... A estes que temem tanto 'mostrar a cara', e que suas fraquezas sejam vistas, vou recomendar o livro 'Evangelho Maltrapilho' (do Brennan Manning que tem uma meia dúzia que o chama 'falso profeta' rss)

Abs,

Mario disse...

Li este livro, muito bom!

Alan Capriles disse...

Querida Regina

Parabéns pela sinceridade e coragem de expor tão claramente sua visão do evangelho. Imagino que você deve ter se sentido mais leve depois desse post. Bem, eu me sentiria, com certeza, rsrs... Engraçado que hoje mesmo eu pensei escrever algo dessa natureza, buscando ainda mais transparência acerca de minhas convicções, que talvez não estejam muito claras para meus amigos e leitores. Fico feliz em saber que não estou sozinho nessa visão do evangelho, o que me leva crer que deve haver muitos outros que atingiram a mesma libertação em Cristo. Assim como você, também rejeito rótulos e qualquer dogma religioso, na certeza de que Jesus nos quer livres dessas prisões da alma.

Um forte abraço,
no amor de Jesus!

Regina Farias disse...

Pastor Alan,

Sou suspeita pra falar a seu respeito porque sou sua fã inconteste já há alguns anos. Amo suas pregações! Muito me edificam, como diz o clichê crental rss
Mais recentemente, tive a imensa alegria em ler 'confissões' suas que me deixaram não apenas admirada, mas respeitando-o mais ainda do que antes. Admirada, porque a maioria esmagadora - de pastor e rebanho rss - não acredita que deve mostrar a cara, acha que deve manter certa reputação de 'santo'. E assim eles 'caminham em Cristo', seguindo cada vez mais envoltos na onda falsa e fantasiosa do rótulo que lhes foi dado e que apavona e os mascara dizendo que eles são 'os caras'. O mais trágico é que eles findam por acreditar nisso. E a turba também.

Ando meio enojada, vc sabe do que falo...

Abs,

Rê.